Escolha uma Página

O Botafogo ganhou de virada (2 x 1) do Resende, em jogo interrompido por 45 minutos, devido à tempestade da noite de ontem (30), no estádio Nilton Santos, e o Grupo A da Taça Guanabara está embolado, com o líder Boavista e o vice-líder Flamengo com 7 pontos; a Portuguesa em terceiro e o Botafogo em quarto com 6. O Boavista tem mais saldo de gols que o Flamengo (4 a 1), e a Portuguesa tem saldo de 1 gol, e o Botafogo, saldo 0.

A VIRADA – O Resende fez 1 x 0 aos 26 minutos, após bela jogada do meia Geovani, que driblou Cicero e ganhou no pique de Marcelo, chutando forte no ângulo, sem chance para Gatito. O Botafogo voltou um pouco melhor do intervalo e empatou aos 10 minutos, com Bruno Nazario completando o cruzamento de Luis Fernando. A virada só foi possível nos acréscimos, aos 48 minutos, com Pedro Raul convertendo o pênalti cometido com a mão pelo  volante Resende, após cruzamento de Bruno Nazario. 

GATITO BEM – O primeiro tempo do Botafogo não foi bom e o Resende só não saiu para o intervalo com vantagem mais ampla porque o goleiro paraguaio Gatito fez boas defesas. Ele evitou o segundo gol do Resende aos 39, em finalização de Caio Cesar. Um pouco antes o Botafogo teve um gol bem anulado, aos 27, por impedimento de Pedro Raul, em aceno correto da assistente Izaura Sá.

BOTAFOGO – Gatito, Fernando (Barrandeguy, 17 do segundo tempo), Marcelo, Joel Carli e Guilherme; Tiaguinho (Navarro, 36 do segundo tempo), Cicero e Bruno Nazario; Luis Fernando, Pedro Raul e Luis Henrique (Rhuan, 29 do segundo tempo). Técnico – Alberto Valentim. O Botafogo volta ao estádio Nilton Santos para o clássico de domingo (2) com o Vasco.

RESENDE – Ranule, Dieguinho, Grasson, Kevin e Murilo; Resende, Vitinho, Zizu (Rhayner, intervalo) e Geovani (Wescley, 14 do segundo tempo); Caio Cesar e Manga (Tauan, 21 do segundo tempo). Técnico – Edson Souza. Resende e Macaé, últimos do Grupo B, ainda não venceram, tal qual Bangu e Cabofriense, últimos do Grupo A.

ARBITRAGEM – Sul-mineiro de Cruzília, a 384 km de Belo Horizonte, o árbitro Grazianni Rocha, de 37 anos, agiu certo em parar o jogo durante 45 minutos, no primeiro tempo, até que a tempestade passasse. Ele manteve a integridade fisica dos jogadores, que tiveram bom nível disciplinar, aplicou três cartões amarelos, todos em jogadores do Resende – Grasson, Manga e Resende, pelo toque no pênalti – e anulou bem um gol de Pedro Raul, do Botafogo, por impedimento. R$73.317,00. 4.224 pagantes, em noite de muita chuva no estádio Nilton Santos.

VASCO x CABOFRIENSE –Ficou para as 11 horas da manhã desta sexta (31) o jogo que Vasco e Cabofriense deveriam ter disputado na noite de ontem (30), em virtude da falta de energia elétrica em São Januário. O sistema de iluminação do estádio do Vasco foi afetado pela chuva, que também causou vários transtornos no bairro vizinho  de São Cristóvão. Marcado para as 21h30m, o jogo foi adiado às 22h45m pelo árbitro Paulo Renato Coelho, tolerante além da conta.

SITUAÇÃO DIFÍCIL – Mesmo que vença, o Vasco não sairá do quarto lugar do Grupo B, liderado pelo Fluminense com 12 pontos – único que venceu todos os jogos -, seguido do Volta Redonda e do Madureira com 9 pontos. O Vasco tem 4 pontos – 1 vitória, 1 empate, 1 derrota – e está zerado no saldo, com 1 gol marcado e 1 gol sofrido. A Cabofriense perdeu todos os jogos, ainda não fez gol e sofreu 6 gols em três jogos.

Foto: Metrópoles