JÁ CLASSIFICADA em 1º do Grupo D, a França, campeã em 2018, sofreu derrota histórica por 1 x 0 para a Tunísia, primeira da África a vencer uma seleção da Europa em Copa do Mundo, nesta 4ª feira (30), no estádio Cidade da Educação, no Catar. O  meia e capitão Wahbi Khazri, de 31 anos, do Montpellier, 14º do Francês 2022-23, marcou aos 13 do 2º tempo o único gol da Tunísia na Copa de 2022.

O TÉCNICO Didier Deschamps decidiu escalar nove reservas, mas depois do gol da Tunísia colocou em campo Mbappé, Griezmann e Dembélé, que não conseguiram mudar o placar. O treinador disse que, além de não querer correr risco, os jogadores fizeram duas partidas em quatro dias com muita intensidade.

OS CRÍTICOS do L’Equipe, o mais lido jornal esportivo francês, culparam o técnico e deram-lhe nota 3 pela derrota: “Descansar os titulares é objetivo bem louvável, mas tem que ser coerente na escalação”. Didier Deschamps, de 54 anos, é o terceiro campeão do mundo, como jogador e técnico (98 e 2018), depois de Zagallo (58-62 e 70) e Beckenbauer (74 e 90).

A FRANÇA somou 6 pontos nos três jogos da fase de grupos, com duas vitórias e uma derrota, superando a Austrália, que eliminou a Dinamarca, no saldo de gols. Tunísia 1 x 0 França, diante de 40 mil espectadores no estádio Cidade da Educação, foi apitado por Matthew Conger, de 44 anos, da Nova Zelândia. 

A TUNÍSIA teve o incentivo da tenista Ons Jabeur, de 28 anos, primeira árabe semifinalista de um torneio de Grand Slam e vice-campeão do famoso torneio de Wimbledon, na Inglaterra, em 2022. Ela vibrou muito com a vitória, mesmo lamentando que a seleção não tenha se classificado.

UM TORCEDOR conseguiu entrar em campo no 2º tempo, com uma bandeira da Palestina e com uma camisa com os dizeres “Tunísia, seu tempo é agora”. Foi muito aplaudido e deu um salto mortal antes de ser detido pelos seguranças.

Fotos: Placar, Diário do Nordeste, R7,