MAIS DE 60 MIL torcedores saíram tristes do jogo de despedida do goleiro Diego Alves e do meia Diego Ribas, no início da noite de hoje (12), no Maracanã, com a virada que o Flamengo levou do Avaí por 2 x 1, ao sofrer a 12ª derrota, 5ª como mandante, 8ª em 28 jogos do técnico Dorival Junior. 5º, com 62 dos 114 pontos disputados, é a pior campanha do Flamengo nos últimos cinco Campeonatos Brasileiros.

OS DIEGOS entraram alguns minutos antes do jogo, já sob muitos aplausos, e agradeceram aos torcedores, com declarações de amor ao clube, que levou ao gramado os troféus que ganharam. Substituído por Tiago Maia, aos 9 minutos do 2º tempo, o meia Diego se ajoelhou no grande círculo, ergueu a cabeça e os braços, apontou para o céu com os dedos, e disse: “Obrigado, Deus!”

EM SEGUIDA, Diego tirou a camisa 10, com o nome de Gabriel, que usava por baixo da camisa 10 com seu nome, e a entregou ao atacante. Antes de receber a camisa e de acompanhar Diego na saída do gramado, Gabriel fez uma reverência com os braços e aplaudiu o já então ex-companheiro de equipe. Todos os jogadores aplaudiram Diego, que passou a braçadeira de capitão ao goleiro Diego Alves.

SUBSTITUÍDO por Hugo, aos 17 minutos, Diego Alves chorou quando os torcedores fizeram o coro de “melhor goleiro do Brasil”. Emocionado, ergueu os braços e acenou agradecendo, passando a braçadeira de capitão a Gabriel. Abraçado pelos companheiros, aplaudido por todos do Avaí, e já na beira do gramado, um abraço demorado e afetuoso em Diego Ribas.

OS TORCEDORES foram ao delírio e voltaram a aplaudir, ainda mais entusiasmados, quando os Diegos, já sentados entre os reservas, apareceram no telão fazendo um coração com as mãos. Após o jogo, o meia Diego disse que criou a escola de inteligência emocional Mind Player (Jogador da Mente) e planeja realizar muitas palestras por todo o país, a partir de 2023.

POR SUA VEZ, DIEGO ALVES disse após o jogo que o momento é de relaxar e curtir a família: “Não vou decidir nada agora, só lá em janeiro ou fevereiro, pensando com muita calma para não errar”. O goleiro disse também que “despedida não é motivo para tristeza, ainda mais depois de um ciclo bem vitorioso com tantos títulos, o que mantém alegre e feliz”. Ele ganhou 11, e Diego Ribas, 12.

DIEGO RIBAS revelou na saída do estádio que ainda vai participar de um grande evento do Flamengo: “Estarei com a equipe no Mundial de clubes. Não consegui o título em campo, em 2019 no Catar, mas estarei com os companheiros de sempre na próxima final e o Flamengo vai ganhar do Real Madrid”. O Mundial de clubes de 2023 ainda não tem datas nem local definidos.

O FLAMENGO não fez bom jogo, e até seu gol foi contra, do zagueiro Wellington, aos 41 minutos, ao tentar desviar de cabeça cruzamento a esmo de Marinho, entre os piores do jogo. O Avaí empatou aos 49, com o gol do ponta goiano Marcinho, emprestado pelo CRB, e fez a virada aos 33 do 2º tempo, com o gol do zagueiro Felipe Silva, de 20 anos, formado na base do clube desde os 10 anos.

ELIMINADO há cinco rodadas, o Avaí só conseguiu sair do 19º e terminar em 17º com 35 pontos, com 7 vitórias em casa e só a 2ª como visitante, após 1 x 0 sobre o Botafogo no 1º turno. 2 x 1 no Flamengo foi o único jogo, em 19 jogos como visitante, que o Avaí fez 2 gols. Em 19 jogos fora de casa, o Avaí não fez gol em 10, empatou 3 e perdeu 13, 9 sem marcar gol. 

FLAMENGO 1 x 2 AVAÍ registrou R$2.276.626,50. 60.064 pagantes. 63.077 presentes. Boa atuação da árbitra paranaense Edina Alves Batista, contratada da Federação Paulista, que só aplicou um cartão amarelo no volante Lucas Ventura, do Avaí, por reclamação. 

O TIME DA DESPEDIDA DOS DIEGOS: Diego Alves (Hugo), Rodinei, David Luiz, Leo Pereira e Ayrton Lucas; João Gomes (Mateuzinho), Arturo Vidal (Kayke David) e Diego Ribas (Tiago Maia); Marinho (André Luis), Gabriel e Cebolinha. Técnico – Dorival Silvestre Junior, poupado da entrevista coletiva após o jogo, decisão prévia anunciada pelo clube, informando que só os Diegos falariam.

O AVAÍ DA 2ª VITÓRIA COMO VISITANTE: Gledson, Thales, Wellington, Felipe Silva e Natanael (Diego Matos); Lucas Ventura, Eduardo (Andrey) e Jean Cleber; Pablo Dyego (Gaspar), Marcinho (Felipinho) e e Vitinho. Técnico – Fabricio Bento, paulistano de 47 anos, ex-zagueiro, que substituiu o gaúcho Lisca, após 6 derrotas em 7 jogos, com péssimas campanhas também no Vasco, Sport e Santos.

Fotos: Lance, Flamengo e Divulgação