CONFIRMOU-SE A ELIMINAÇÃO DOLOROSA do Botafogo da Copa do Brasil pelo placar agregado de 5 x 0 para o América Mineiro. Difícil é dizer onde o Botafogo foi pior: se no jogo de ida, na Arena Independência, em Belo Horizonte, onde perdeu por 3 x 0, ou no da noite de ontem (14), no estádio Nilton Santos, onde foi derrotado por 2 x 0. Derrotas que comprometem e enxovalham a história do Botafogo.

POR SIMPLES E OBRIGATÓRIO registro jornalistico: o primeiro gol do América Mineiro foi de Felipe Azevedo aos 22 minutos, completando na pequena área, nas costas de Kanu, o cruzamento de Pedrinho, que envolveu Saravia e deu assistência de calcanhar. O segundo gol foi do próprio Pedrinho aos 16 do 2º tempo, quando os torcedores chamaram o time de sem vergonha e pediram a saída do técnico.

DOIS EQUÍVOCOS VINDOS das arquibancadas: 1 – o Botafogo entra em campo com 11, mas isso não quer dizer que tenha time; tem poucos e raros jogadores esforçados, nenhum com brilho de time de Série A. 2 – O Botafogo tem uma figura na área técnica, mas isso não quer dizer que tenha técnico. Se Luis Castro jamais foi técnico de uma grande equipe, não pode ser técnico do Botafogo.

O BOTAFOGO CONTINUA PRECISANDO de bons jogadores e de bom técnico para reagir e não causar outra decepção aos torcedores, que têm dado seguidas demonstrações de apoio ao clube e merecer ir ao estádio para incentivar um time, não um arremedo de time. O quadro atual do futebol do Botafogo é desolador e decepcionante. O Botafogo tem tradição histórica de grandeza, não de time pequeno.

Foto: UOL