Escolha uma Página

Quase quatro meses depois, Flamengo e Vasco repetiram na noite deste sábado (15), no estádio Mané Garrincha, o 1 x 1 do turno, em 19 de maio no Maracanã, só que desta vez em jogo sem qualidade e em que foram punidos, com resultado ruim para ambos. O Flamengo, com 45 pontos, manteve o quarto lugar, mas pode terminar a rodada a sete pontos do líder e do vice-lider, se Internacional e São Paulo, com 49, vencerem. O Vasco, com 25, saiu do rebaixamento por ter mais uma vitória (6 a 5), mas volta se a Chapecoense ganhar segunda (17) do Internacional, no encerramento da rodada.

MUITO RUIM – O Flamengo voltou a ter desempenho muito ruim, salvando-se o goleiro Diego Alves com defesas que evitaram a derrota por mais de um gol na saída do intervalo. O Flamengo voltou a usar e abusar de passes e finalizações mal feitos, principalmente na maior parte do primeiro tempo. Antes de fazer 1 x 0, aos 27 minutos, Andrés Rios chegou a perder chance sem goleiro. Fez um gol que não dava mesmo para perder, com passe de Maxi Lopez, após a rebatida do goleiro.

Antes do gol do Vasco, quem não aproveitou chance bem clara para abrir o placar foi o lateral Renê, após uma boa jogada de Vitinho, Everton Ribeiro e Diego. 

GOL CONTRA – O Flamengo escapou da sétima derrota, graças ao gol contra do zagueiro Luis Gustavo, desatento ao desviar de cabeça o cruzamento do lateral Pará. O lance foi aos 16, quatro minutos depois da expulsão de Diego pelo segundo amarelo, devido à falta que cometeu no primeiro tempo no volante Raul. Correta a decisão do árbitro paulista Luis Flávio Oliveira, que teve atuação segura.

AMBULÂNCIA – O meia Bruno Silva ficou desacordado depois do choque com o zagueiro Luis Gustavo, aos 32 do segundo tempo, ao bater com a cabeça no campo, atingido pelo ombro do próprio companheiro. Com a perna enfaixada e o pescoço imobilizado, teve que ser removido para um hospital, mas logo se recuperou. Cinco jogadores do Flamengo e dois do Vasco tiveram que empurrar a ambulância, em uma cena muito constrangedora.

Assim como a ambulância não pegou no tranco, o jogo também não engrenouOs jogadores empurrando a ambulância é uma das cenas mais ridículas do Brasileirão 2018. E aconteceu na capital do país! Fico a imaginar se fosse na minha Manaus ou em outra cidade ainda menor do meu estado, tipo Parintins, Humaitá, Maués, o que diriam. E se fosse no estádio da Luz, em Lisboa, no clássico Benfica x Sporting? Aí os nossos queridos irmãos não aguentariam as piadas. Se resta um consolo, é aproveitar os números das camisas e fazer uma aposta na próxima mega-sena. A sugestão não é minha, é do parceiro Marcelo Santos, consultor de redes sociais.

CINCO JOGOS – É retrospecto sem vitória do Vasco nos últimos cinco jogos do Brasileirão 2018, desde que Alberto Valentim – terceiro técnico do time este ano – assumiu, com quatro derrotas consecutivas. Faltando o jogo atrasado com o Santos, na Vila Belmiro, o Vasco soma 25 pontos em 24 jogos – 6 vitórias, 7 empates, 11 derrotas – e tem saldo negativo de nove gols (27 a 36). E uma semana cheia para se preparar para o próximo jogo, dia 24, em São Januário, com o Bahia.

Se vale como alento, o time vai contar com a volta de Pikachu e Desábato, que não puderam jogar esta noite em Brasília por estarem suspensos. 

COMPLICADA – É cada vez mais a situação do Flamengo, correndo o sério risco de terminar 2018 sem comemorar título, após a eliminação de certa forma precoce da Libertadores. A vaga para a final da Copa do Brasil passou a ser incerta pela obrigação de ganhar do Corinthians, em São Paulo, depois do 0 x 0 no Maracanã. E o Brasileirão é objetivo que vai ficando cada vez mais distante, não só pela diferença de pontos dos primeiros, mas pela queda de rendimento da equipe.

O Flamengo chegou ao quinto empate como visitante, em que só conseguiu três vitórias e outras tantas derrotas. Dos cinco primeiros colocados é o que tem o ataque menos eficiente (36). O time volta ao Maracanã dia 23 para o jogo com o Atlético Mineiro, a quem venceu (1 x 0) no turno, no estádio Independência.

VASCO – Martin Silva, Lenon, Luis Gustavo, Leandro Castan e Ramon; Raul (Andrey, 13 do segundo tempo), Bruno Silva, Wiliam Maranhão e Fabrício (Giovani Augusto, 18 do segundo tempo); Maxi Lopez e Andrés Rios (Marrony, 24 do segundo tempo).

FLAMENGO – Diego Alves, Pará (Rodinei, 51 do segundo tempo), Léo Duarte, Rever e Renê; Piris da Mota, Paquetá, Diego e Everton Ribeiro; Uribe (Arão, 18 do segundo tempo) e Vitinho (Berrío, 32 do segundo tempo). R$2.902.950,00. 54.288 pagantes.

Foto: Claudio Reis / Agência LancePress