Em sua segunda participação em Copa do Mundo Feminina, a Espanha venceu (3 x 1, de virada) a estreante África do Sul, neste sábado (8), no estádio Océan, em Le Havre, segunda maior cidade portuária da França, na região noroeste da Normandia. Le Havre, em francês, significa O Porto. O destaque foi a atacante Jennifer Hermoso, do Atlético de Madrid, depois de ter jogado no Barcelona e no Paris Saint Germain. Jennifer marcou dois gols de pênalti, presente especial que se deu na véspera de completar 29 anos, nascida em Madrid em 9 de junho de 1990.

A VIRADA – Foram decisivas as substituições do técnico Jorge Vilda, que dirige a seleção desde 2015, com Aitana no lugar de Vicky, e Lucia Garcia, a mais jovem (20 anos), no lugar de Amanda. A Espanha saiu para o intervalo perdendo, com o gol da atacante Themby Kgatlana, de 22 anos, 1,54m, artilheira sul-africana e ídolo no país, aos 25 minutos. A virada só começou aos 24 minutos com o gol de pênalti de Jennifer, que marcou o segundo aos 37. No minuto final, Lúcia Garcia fez o terceiro, pouco depois que a árbitra chilena Maria Carvajal expulsou, por falta, a meia sul-africana Vilazak.

HISTÓRICA – Em décimo terceiro no ranking do futebol feminino da Fifa, a Espanha foi a primeira a se classificar para a oitava Copa do Mundo, depois de oito vitórias em oito jogos nas eliminatórias. A líder do time é a zagueira Irene Paredes, do Paris Saint Germain, uma das melhores do mundo. A seleção histórica da primeira vitória da Espanha em Mundial Feminino: Sandra, Marta Torrejón, Irene (cap), Mapi e Marta Corredera; Virginia, Vicky (Aitana), Alexia e Amanda (Lucia Garcia); Caldentey e Jennifer Hermoso. As espanholas jogarão ainda com Alemanha e China, que também fazem parte do Grupo B.

Foto: Reuters