Escolha uma Página

A ESPANHA se classificou em 1º no Grupo B para as oitavas de final da Eurocopa, mas merecia ter goleado a Itália, pelo amplo domínio do jogo, e não apenas por 1 x 0, com o gol contra do zagueiro Riccardo Calafiori, aos 10 minutos do 2º tempo, na noite desta 5ª feira (20), na Arena Veltins, em Gelsenkirchen.

A ESPANHA repetiu a superioridade do 3 x 0 da estreia na Croácia e voltou a exibir futebol de alto nível técnico, como forte candidata a ganhar o quarto título, que a deixaria como a maior vencedora da Eurocopa, da qual é a única campeã duas vezes consecutivas (2008 e 2012).

A ESPANHA não deixou a Itália sair do próprio campo, e logo nos primeiros minutos, o goleiro Gianluigi Donnarumma fez grandes defesas, em cabeçada de Pedri, e nos chutes de Alvaro Morata, à queima-roupa, e Fabian Ruiz, de fora da área. O único chute da Itália, de Chiesa, aos 46, passou longe do gol.

A ESPANHA manteve o ritmo na volta do intervalo e fez o gol aos 10 minutos, em jogada rápida de Nico Williams, que cruzou da esquerda, Morata desviou de cabeça e a bola entrou depois de bater no joelho esquerdo do zagueiro romano Riccardo Calafiori, de 22 anos, grata revelação do Bologna.

A ESPANHA criou outras chances, mas parou em novas defesas do bom goleiro italiano, que contou com a proteção do travessão em chute de Nico Williams, de 21 anos, do Athletico de Bilbao. Só na última bola do jogo, quando Cambiasso bateu escanteio, aos 51 minutos, até Donnarumma foi tentar o empate.

UNAI SIMON, Carvajal, Le Normand, Laporte e Cucurella; Rodrigo, Pedri (Alex Baena) e Fabian Ruiz (Merino); Yamal Lamine (Ferran Torres), Morata (Oyarzabal) e Nico Williams (Ayoze Perez), a Espanha do técnico Luis de la Fuente, ex-lateral-esquerdo de 62 anos.

DONNARUMMA, Di Lorenzo, Bastoni, Calafiori e Dimarco; Jorginho (Cristante), Barela e Frattesi (Cambiasso); Chiesa (Zaccagni), Scamacca (Retegui) e Pellegrini (Raspadori), a Itália do técnico Luciano Spalletti, ex-meia de 65 anos, que precisa tornar a seleção mais corajosa, se quiser estar nas finais da Eurocopa.

A ITÁLIA DE 2024 é uma seleção que não lembra em nada as grandes que vi, com Paolo Maldini, recordista de 902 jogos no Milan e 126 na seleção; Andrea Pirlo, Alessandro del Piero, Fabio Cannavaro, Paolo Rossi e tantos outros notáveis. É uma seleção pobre de valores, sem inspiração e sem criatividade.

NO SÉTIMO DIA da Eurocopa, os dois primeiros jogos de hoje (20) foram fracos: Eslovênia 1 x 1 Sérvia, Dinamarca 1 x 1 Inglaterra, um pouco melhor do que no 1 x 0 sobre a Sérvia na estreia. Os ingleses, atuais vice-campeões (perderam a final de 2021 para a Itália nos pênaltis), ainda devem uma boa exibição.

  • TOLERÂNCIA ZERO na Eurocopa. Só o capitão pode se dirigir ao árbitro, mas não está livre de ser advertido com cartão amarelo, tal como aconteceu hoje (20) com o goleiro Donnarumma, punido pelo esloveno Slavko Vincic, de 44 anos, árbitro da final da Champions Real Madrid 2 x 0 Borussia Dortmund.
  • 18 JOGOS, 47 GOLS, nenhum 0 x 0, média de 2.61 gols por jogo. A única goleada, Alemanha 5 x 1 Escócia, no jogo isolado de abertura, em que o alemão Rudiger fez o primeiro gol contra. O italiano Calafiori fez o quinto gol contra na derrota de hoje (20) para a Espanha.
  • COM A DERROTA para a Espanha, a Itália precisa vencer a Croácia para confirmar a 2ª vaga nas oitavas de final. A Espanha, em 1º no Grupo B, é favorita no outro jogo de 2ª feira (24), com a Albânia, do técnico brasileiro Sylvinho, que ainda pode conseguir ser um dos melhores terceiros colocados.
  • O ARTILHEIRO Kylian Mbappé, após fraturar o nariz, na estreia com a Polônia, é dúvida para o jogo desta 6ª feira (21), em Leipzig, em que França e Holanda decidirão o 1º lugar do Grupo D. Se for confirmado, jogará com máscara protetora, depois de utilizar três modelos no treino desta 5ª feira (20).
  • QUEIXANDO-SE de insultos durante o jogo Croácia 2 x 2 Albânia, que sua delegação foi assistir, a Sérvia sentiu-se ofendida e ameaçou abandonar a Eurocopa. O próprio presidente da União Europeia de Futebol (UEFA), Aleksander Ceferin, advogado esloveno de 56 anos, interveio e solucionou o problema.

Fotos: Site oficial da UEFA