Escolha uma Página

AO ELIMINAR A ALEMANHA no minuto final da prorrogação (2 x 1), na noite desta 6ª feira (5), na Arena Stuttgart, a Espanha tornou-se semifinalista pela quarta vez e pode ser a primeira a ganhar quatro vezes a Eurocopa. A vaga na final do dia 14 será decidida 3ª feira (9) com a França, que eliminou Portugal (0 x 0, 5 x 3 nos pênaltis).

A CLASSIFICAÇÃO é histórica porque foi a primeira vitória da Espanha sobre a Alemanha, na Eurocopa, embora a Espanha tenha completado 12 jogos oficiais, desde 1988, sem perder para a Alemanha: 4 vitórias de cada seleção e 4 empates. No total dos 27 jogos, a Espanha igualou-se à Alemanha em vitórias (9) e empates (9).

O JOGO FOI DE RARA INTENSIDADE desde o início, com o primeiro chute em gol logo aos 55 segundos, de Pedri e boa defesa de Neuer, no último jogo pela seleção. Na primeira falta, aos 3 minutos, o meia Kroos, que se despediu do futebol, atingiu o joelho esquerdo de Pedri, que tentou voltar, não conseguiu, e está fora da Eurocopa.

A ESPANHA FEZ 1 x 0, aos 6 minutos do 2º tempo, com Daniel Olmo, que substituiu Pedri, aos 8 do 1º tempo, finalizando de pé esquerdo, no canto direito, após assistência de Yamine Lamal. A Alemanha empatou aos 43, com Florian Wirtz, de pé direito, com assistência de cabeça de Kimmich. A bola ainda tocou na trave direita, antes de entrar.

O GOL DE CABEÇA do meia Mikel Merino, no canto direito, após cruzamento de Olmo, colocou a Espanha pela 4ª vez na semifinal da Eurocopa, aos 14 minutos do 2º tempo. Foi a 9ª prorrogação que a Espanha ganhou, com 100% de aproveitamento, na história do segundo maior torneio de seleções, depois da Copa do Mundo.

MESMO COM PRESSÃO muito forte, a Alemanha não conseguiu empatar para levar a decisão aos pênaltis, parando em três excelentes defesas de Unai Simon, goleiro de 27 anos, do Atlético de Bilbao. Mas a Espanha ainda levou o grande susto, na última bola do jogo, rente à trave esquerda, na cabeçada de Fullkrug.

NO PRIMEIRO MINUTO do 2º tempo da prorrogação, a bola chutada por Musiala ia na direção do gol e bateu na mão esquerda do lateral espanhol Marc Cucurella, mas o inglês Anthony Taylor, de 45 anos, desde 2013 na FIFA, não marcou pênalti nem foi chamado pelo VAR, que respeita a decisão do árbitro.

A TENSÃO DO JOGO ficou bem refletida no elevado número de advertências com cartão amarelo: 8 alemães, Rudiger, Raum, Andrich, Kroos, Mittelstadt, Scholotterbeck, Wirtz e Undav, e 7 espanhóis, Ferran Torres, Rodrigo, Le Normand, Morata, Fabian Ruiz, Unai Simon e Carvajal, expulso pelo 2º amarelo, após falta dura em Jamal Musiala.

OS SEMIFINALISTAS: Unai Simon, Carvajal, Le Normand (Nacho), Laporte e Cucurella; Rodrigo, Pedri (Olmo) e Fabian Ruiz (Joselu); Yamal Lamine (Ferran Torres), Morata (Oyarzabal) e Nico Williams (Merino). O técnico – José Luis de la Fuente, ex-lateral de 63 anos, lamentou a perda do meia Pedri, atingido nos ligamentos do joelho, para o restante da Eurocopa.

OS AUTORES DOS GOLS. O meia Daniel Olmo, de 26 anos, autor do 1º, saiu da base do Barcelona, foi pentacampeão da Croácia no Dínamo de Zagreb, joga no Leipzig, campeão da Copa e Supercopa da Alemanha. Na seleção, campeão europeu Sub-21. O meia Mikel Merino, de 28 anos, autor do 2º gol, ex-Borussia Dortmund, é da Real Sociedad, campeão da Copa do Rei, e campeão europeu Sub-19 e Sub-21.

Fotos: UEFA via Getty Images