O BENFICA FEZ HOMENAGEM ESPECIAL A EUSÉBIO, nesta primeira 5ª feira de 2022, pelos oito anos de sua morte, no domingo, 5 de janeiro de 2014. Flores foram colocadas ao pé da estátua, em tamanho natural, do maior jogador da história de 117 anos do clube, na entrada do estádio da Luz, onde ele brilhou como líder de sua geração, e foi exibido um video com os principais lances e gols do ex-atacante, que não vestiu outra camisa de clube durante 15 temporadas.

O PRESIDENTE RUI COSTA, de 49 anos, ex-meia, autor do gol do título mundial sub-20 de 1991, e campeão com a seleção principal da Eurocopa 2004, ressaltou em breves palavras, sem esconder a emoção: “Eusébio é e será sempre a eterna saudade do Benfica”. Eusébio ganhou 22 títulos (11 de campeão português), fez 638 gols em 614 jogos pelo Benfica, e é símbolo da seleção, com 41 gols em 64 jogos, como único jogador de Portugal, artilheiro da Copa do Mundo, com 8 gols.

A ATUAÇÃO HISTÓRICA DE EUSÉBIO, com 4 gols, foi na virada épica por 5 x 3 sobre a Coreia do Norte, que chegou a estar vencendo por 3 x 0. Na semifinal, ele fez o gol, mas Portugal perdeu a vaga na final para a Inglaterra (2 x 1), que seria campeã do mundo pela única vez. Na decisão do 3º lugar, Portugal venceu a União Soviética por 2 x 1, diante de 87.696 pagantes no então tratado como Estádio Imperial de Wembley. Eusebio fez 1 x 0, e José Augusto, o gol da vitória.

A SELEÇÃO PORTUGUESA DO ÚLTIMO JOGO da Copa de 1966, 5ª feira, 28 de julho de 1966, no 4-2-4 da época: José Pereira, Batista, José Carlos, Hilário e Alberto Festa; Mario Coluna (cap) e Jaime Graça; José Augusto, Eusébio, Torres e Simões. O técnico era o carioca Oto Martins Glória, então aos 49 anos, que também dirigiu os quatro grandes times portugueses: Sporting, Porto, Belenenses e Benfica, duas vezes campeão nacional e cinco vezes da Taça de Portugal.

Foto: DENIS BALIBOUSE / REUTERS