Quinze anos após a última luta, Mike Tyson, de 53 anos, ex-campeão mundial dos pesos-pesados, está treinando para voltar aos ringues em quatro combates de exibição, com o objetivo de ajudar os sem-teto e os viciados em droga, do Brooklyn, distrito mais populoso de Nova York, onde nasceu em 30 de junho de 1966. Ele revela: “Estou treinando na esteira, na bicicleta ergomética e até com luvas, mas ainda sinto o corpo muito dolorido”.

QUARENTENA – Mike Tyson está confinado em sua fazenda, durante a quarentena imposta pelo novo coronavírus, onde tem uma escola e ensina os agricultores como cultivar suas variedades de maconha. Com o negócio, ele ganha por mês 500 mil dólares, porque o uso da maconha é permitido desde 2008 no estado da Califórnia, onde comprou a fazenda. Tyson foi durante anos viciado em maconha e cocaína, e chegou até a ser preso.

300 MILHÕES – No auge da carreira, com 50 vitórias em 58 combates, Mike Tyson acumulou fortuna superior a 300 milhões de dólares, mas em agosto de 2003, deprimido e alegando dívidas de 23 milhões de dólares, entrou com pedido de falência. Ele ficou ainda mais famoso ao morder a orelha de Evander Holyfield, no terceiro round da segunda derrota, em junho de 97. Foi suspenso um ano, e na volta tornou-se vegetariano.

FENÔMENO – Mike Tyson já pesava 80 kg aos 12 anos; aos 14 foi campeão olímpico dos pesos-médios, e aos 15 anos tornou-se o mais jovem peso-pesado campeão do mundo, ganhando três combates por nocaute técnico, antes do quarto round. Tyson é tido como ídolo por outros famosos nascidos no Brooklyn, entre eles o ex-astro do basquete Michael Jordan; o comediante Eddie Murphy; o cineasta Woody Allen e a cantora Barbra Streisand, de origem judaica, que anteontem (24) comemorou 78 anos.