DUAS SEMANAS APÓS SER DISPENSADO DO CRUZEIRO, o goleiro Fábio faz exames médicos hoje (19) e assina contrato até dezembro de 2022 com o Fluminense. Depois de 17 temporadas consecutivas, 976 jogos,12 títulos e 34 pênaltis defendidos, Fabio volta ao Rio, onde defendeu o Vasco em 150 jogos, entre 2000 e 2004. Cinco vezes melhor goleiro do Brasileiro, ele é o segundo com mais jogos (83) na Libertadores, que disputou 8 vezes, depois de Rogerio Ceni (90 jogos). 

BICAMPEÃO EM 2008-2009 e 2018-2019, Fábio ganhou os outros três títulos de campeão mineiro em 2006, 2011 e 2014; ganhou duas Copas do Brasil consecutivas em 2017-2018, depois de ter sido campeão em 2000; foi bicampeão brasileiro em 2013-2014, e cinco vezes eleito melhor goleiro do campeonato, em 2006, 08, 10, 13 e 14. É o goleiro com mais jogos sem sofrer gol no Campeonato Brasileiro. Com a seleção, campeão mundial sub-17 em 1997.

NASCIDO NA 3ª FEIRA, 30 de setembro de 1980, em Nobres, cidade riquíssima em belezas naturais, a 120 km de Cuiabá, capital do estado do Mato Grosso, Fábio é do signo de Libra, com personalidade forte e espírito solidário, sempre pronto a oferecer ajuda. Livre de ter que disputar a Série B pelo segundo ano consecutivo, ele diz que está chegando muito motivado ao Fluminense: “Pelas contratações e com Abel Braga no comando, o time tem tudo para grande campanha”.

DESDE A FORMAÇÃO no União Bandeirante em 97 e ainda no primeiro título em 98 no Atlético, campeão paranaense, Fábio sempre procurou acompanhar jogos na televisão, e revela que três goleiros exerceram muita influência no desenvolvimento de sua carreira: Dida, Zetti e Taffarel. Na visão dele, os três sabiam simplificar as defesas, tinham arrojo, excelente sentido de colocação e orientavam bem a defesa.

POUCOS LEMBRAM, mas o jogo 700 de Fábio no Cruzeiro foi no domingo, 17 de julho de 2016, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio do América, em Edson Passos, onde ele teve atuação notável, evitando a goleada do Fluminense, que ficou nos 2 x 0, gols de Cicero e Marcos Junior. Agora, com 976, os 24 que faltam para completar 1000 jogos serão com a camisa do Fluminense, onde tem tudo para manter a tradição histórica de goleiros extraordinários.

Foto: Lance!