Janeiro começa sempre com os parabéns a Rivellino, que hoje completa 74 anos, mas 2020 não pode deixar de ser dedicado ao nosso único e eterno Rei Pelé, aos 80 anos, símbolo de todas as gerações do futebol, não à toa Atleta do Século 20. Se há algo que me alegra, em mais de 60 anos de jornalismo, é a felicidade de ter visto e revisto Pelé.

ALGUMAS HISTÓRIAS – Pelé foi o mais jovem campeão do mundo, aos 17 anos e 8 meses, a marcar três gols em sua primeira final, em 29/6/58, Suécia 2 x 5 Brasil, no estádio de Solna, em Estocolmo. De 1930 a 2018, em 900 jogos das 21 Copas do Mundo, só 52 jogos registraram três gols.

RECORDISTA – Pelé foi 11 anos artilheiro do Campeonato Paulista e seu recorde de 58 gols, em 1958, permanece. Maior artilheiro do Santos, com 1.091 gols, de 1956 a 1977, é  também o recordista sul-americano de gols marcados em um time: 49 gols em 48 jogos com o Corinthians, o maior freguês de toda sua carreira.

GOL DE PLACA – A expressão foi criada pelo jornalista Joelmir Beting, em 5/3/61, quando recebeu a bola no próprio campo, driblou seis marcadores, inclusive o goleiro, e fez o segundo gol, em Fluminense 1 x 3 Santos, pelo Rio-São Paulo. Dias depois foi inaugurada uma placa no hall dos elevadores do Maracanã. Pelé não escondeu a emoção.

GARRINCHA E PELÉ – Não há outro registro na história do futebol mundial de que dois jogadores nunca tenham perdido atuando juntos.Pelé e Garrincha, em 40 jogos, ganharam 36, por coincidência, o primeiro e o último com a Bulgária: 3 x 1 em 18/5/1958, em amistoso no Pacaembu, e 2 x 0, em 12/7/1966, em Liverpool. Primeiro gol de Pelé, segundo gol de Garrincha, na única vitória, na Copa de 1996, no Goodison Park.

CAMPEÕES EM CASA – Em 2020 faz 80 anos que a Copa do Mundo começou. Depois do Uruguai, em 1930, e da Itália, em 1934, só mais quatro seleções ganharam a final em casa: Inglaterra (1966), Alemanha (1974), Argentina (1978) e França (1998). Só duas perderam a decisão em casa: Brasil (1950) e Suécia (1958).

70 ANOS DO RECORDE – Em 2020 faz 70 anos que Ademir Marques de Menezes tornou-se o único brasileiro a marcar nove gols em uma só Copa do Mundo e o primeiro a fazer quatro gols em um só jogo: 7 x 1 na Suécia. Ademir foi também o primeiro artilheiro e campeão carioca no Maracanã, em 1950, com 25 dos 74 gols do Vasco em 20 jogos.

QUATRO ESPECIAIS – No bicampeonato mundial da seleção brasileira (58-62), só quatro participaram de todos os jogos: o goleiro Gilmar, o lateral Nilton Santos, o meia Didi e o ponta Zagallo. Só Gilmar não era do Botafogo. Faz 50 anos que Zagallo foi o primeiro da história das Copas, campeão do mundo como jogador, e técnico (1970).

O PRIMEIRO TRI – Em 2020 que está começando, o Flamengo comemora 125 anos de fundação e 65 anos do primeiro tricampeonato – 1953-54-55 – no Maracanã, dirigido pelo  paraguaio Fleitas Solich. Nas três campanhas, 84 jogos, 228 gols, média de 2.71 gols/jogo,  daí a denominação de rolo compressor

IV CENTENÁRIO – Em 2020 faz 55 anos que duas figuras se sobressaíram no título histórico de campeão do IV Centenário do Rio que o Flamengo conquistou: o artilheiro Silva Batuta e o técnico argentino Armando Renganeschi, ex-zagueiro, campeão carioca de 1941 no Fluminense, time que fez 106 gols em 29 jogos (3.65 gols por jogo).

O GANDULA – Em 2020 faz 80 anos que o apanhador de bola ganhou a denominação de gandula. Em 1940, o Vasco trouxe da Argentina o atacante Bernardo José Gandula – 1916 – 1999 -, campeão no Boca. Sempre que a bola saía, ele era muito rápido para apanhá-la, até mesmo para entregá-la ao adversário, a fim de que o jogo fosse logo reiniciado.

ÚLTIMO TÍTULO – Em 2020 faz 60 anos do último título carioca do América, que dos 22 jogos só perdeu um (1 x 0, gol do zagueiro baiano Zózimo, único do Bangu na seleção campeã do mundo em 62). Dirigido por Jorge Vieira, 28 anos mais novo que Zezé Moreira (53), técnico do Fluminense, que buscava o bicampeonato, mas perdeu de virada (2 x 1).

O GLORIOSO – Em 2020 faz 110 anos que o Botafogo começou a ser chamado de Glorioso, após ganhar o primeiro título carioca, com a única derrota (4 x 1), na estreia, para o América. Após cada uma das nove vitórias, entre elas 15 x 1 no Riachuelo e 11 x 0 no Hadock Lobo, chegavam ao clube mensagens de congratulações, começando assim: “Ao Glorioso Botafogo F.C.“Foi o que inspirou Lamartine Babo a incluir O Glorioso no hino do clube.

CADETES 1926 – Em 2020 faz 94 anos que o São Cristóvão ganhou o único Campeonato Carioca, sete anos antes do profissionalismo. O time era chamado de alvos, pelo uniforme todo branco, e depois de cadetes por ser o da preferência dos alunos da Escola Militar de Realengo. Alguns generais jogaram pelo clube: Zenóbio da Costa, Cordeiro de Farias, Estilac Leal, Canrobert Pereira da Costa e Otávio Póvoas, zagueiro do time campeão de 1926.

57 ANOS DO RECORDE – Em 2020 faz 57 anos do recorde dos recordes de pagantes no Maracanã: 177.020, na tarde do domingo, 15 de dezembro de 1963, em que o Flamengo foi campeão no 0 x 0 com o Fluminense. A PM teve que retirar torcedores da marquise. Foi o último título de Flávio Costa, técnico recordista com oito, desde o primeiro em 1939.