Os ex-jogadores do América vão comemorar dentro de quatro meses os 38 anos do título de Campeão dos Campeões, último da história do futebol do clube, ganho na decisão com o Guarani, com 1 x 1 em Campinas e 2 x 1 no Maracanã, sob muita chuva, na noite de 12 de junho de 1982. O torneio teve a participação de mais 15 campeões e vice-campeões dos eventos mais importantes organizados pela CBF, e no mesmo ano o América foi também campeão da primeira Taça Rio.

CONVITE ESPECIAL – O América recebeu convite especial por ser o clube que mais participou das competições da CBF: Campeonato Brasileiro, Taça Brasil e Torneio Rio-São Paulo. O Flamengo optou por excursão à Europa e a vaga foi ganha pelo Paysandu, que disputou com o Santa Cruz – iguais em números de participações -, em jogo único em Recife. Quando recebeu o convite especial, o América já havia disputado o Rio-São Paulo e mais 15 torneios promovidos pela CBF.

OS CAMPEÕES – Na época de ouro de Pelé, o Santos foi um dos mais importantes no torneio Campeão dos Campeões, com o penta da Taça Brasil de 61 a 65. O Internacional, bicampeão brasileiro 75-76 e até hoje único invicto em 79. Os campeões brasileiros Atlético Mineiro (71), Palmeiras (72), Vasco (74), São Paulo (77), Guarani (78), Grêmio (81); os campeões da Taça Brasil, Cruzeiro (66), Botafogo (68); o Fluminense, ganhador do Roberto Gomes Pedrosa (70), e tantos outros campeões.

AS FINAIS – Depois das fases eliminatórias, o América acentuou o brilho da campanha ao vencer (1 x 0) o Atlético Mineiro nas quartas de final, e a Portuguesa, campeã do Rio-São Paulo de 52 e 55 e campeã paulista de 73, na semifinal, 4 x 3 nos pênaltis, após 2 x 2. Nas finais, o América empatou (1 x 1) com o Guarani, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, e ganhou (3 x 2) no Maracanã, em jogo sob muita chuva, apitado pelo gaúcho Carlos Sergio Rosa Martins.

EQUILÍBRIO – A grande final do torneio, na noite de 12 de junho de 1982, exigiu prorrogação, pelo equilíbrio do jogo. Moreno fez o gol do América aos 13 do primeiro tempo, e Delém empatou aos 17 do segundo. O gol do título, no tempo extra, foi marcado pelo ponta Gilson Gênio, aos 25 minutos. O Guarani, dirigido por Zé Duarte, técnico de muito prestígio no futebol paulista, havia feito excelente campanha e eliminado o Bahia (1 x 0) na semifinal.

AMÉRICA – Gasperin, Chiquinho, Duílio, Everaldo e Zedilson (Sergio Pinto); Pires, Gilberto e Eloi (João Luis); Serginho, Moreno e Gilson Gênio. O técnico Dudu, que formou o meio-campo da época de ouro da Academia do Palmeiras, com Ademir da Guia, dirigiu o time na bela campanha do torneio dos Campeão dos Campeões. O ex-atacante Edu Coimbra, do time campeão da Taça Guanabara de 74, foi o treinador da equipe campeã, com igual brilho, da primeira Taça Rio de 1982.