Escolha uma Página

COM ONZE ANOS DE ANTECEDÊNCIA, o presidente da FIFA anunciou ontem (31) que a 24ª Copa do Mundo será na Arábia Saudita, em 2034. O suíço-italiano Gianni Infantino, advogado de 53 anos, desde 26 de fevereiro de 2016 na presidência, fez questão de ressaltar: “Com 10 países de cinco continentes como sedes em 2026, 2030 e 2034, a Copa do Mundo torna o futebol verdadeiramente global e como o maior show do planeta”.

O PRESIDENTE DA FIFA destacou, após anunciar a escolha do país que sediará a segunda Copa na Ásia, 22 anos depois da primeira em dois países, organizada em 2002 pela Coreia do Sul e Japão, onde o Brasil ganhou o quinto e último título: “Em 2026, nos Estados Unidos, Canadá e México; em 2030, na África (Marrocos) e na Europa (Portugal e Espanha), com três jogos comemorativos, no Uruguai, Argentina e Paraguai, e em 2034 na Arábia Saudita, é a consagração global”.

A COPA DO MUNDO de 2026, primeira em três países e com 48 seleções, confirmará, na projeção do presidente da FIFA, a capacidade de organização dos Estados Unidos, que em 1994 registraram o maior público de todas as 21 Copas, com 3.568.567 pagantes. Em 2014, o Brasil promoveu a Copa pela segunda vez, depois de 70 anos, e teve o segundo maior público: 3.441.450, superando os 3.404.252 da Copa mais recente, em 2022, no Catar, a última das sete com 32 seleções.

O PRESIDENTE DA FIFA deixou claro que abriu o leque de opções aos países da Ásia e da Oceania para que apresentassem propostas para sediar a Copa do Mundo de 2034, mas só a Austrália chegou a se candidatar, porém desistiu. A Arábia Saudita tornou-se então, dentro do prazo, o único a assumir o compromisso. O governo saudita decidiu apoiar os clubes nos investimentos em Cristiano Ronaldo (Al-Nassr), Neymar (Al-Hilal) e Benzema (Al-Ittihad).

Foto: BNN Breaking