CINCO MESES E MEIO DEPOIS, A FIFA decidiu na tarde desta 2ª feira (14), que Brasil e Argentina disputarão novo jogo pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, após a interrupção do que só teve 4 minutos, no domingo, 5 de setembro de 2021, devido à invasão do gramado da Arena Corinthians por agentes da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A FIFA DECIDIU POR OUTRO JOGO, baseando-se na súmula do árbitro venezuelano Noel Valenzuela e no relatório do colombiano Juan Hernandez, delegado do jogo, que escreveram com clareza, que houve “invasão de campo das autoridades sanitárias brasileiras”. Tanto o árbitro quanto o delegado, não relataram abandono de campo da seleção argentina.

A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL (CBF) e a Associação do Futebol Argentino (AFA), que reivindicavam os pontos têm direito a recurso, mas a decisão de novo jogo será mantida. A FIFA multou a CBF em 550 mil francos suíços (R$3.100 mil), por falha na organização do jogo, e pela invasão de campo. A CBF ainda não se pronunciou sobre as punições.

A FIFA MULTOU A AFA EM 250 mil francos suíços (R$1.400 mil) porque os jogadores Buendia, Romero, Lo Celso e Emiliano Martinez descumpriram as regras sanitárias brasileiras, deixando de cumprir quarentena de duas semanas, por chegarem da Inglaterra. O zagueiro Nicolás Otamendi foi dos que tiveram discussão mais acirrada com os agentes da Anvisa, antes de a seleção se retirar do gramado.

PRESIDENTE DA AFA desde 2017, Claudio Fabian Tapia, de 54 anos, antecipou esta tarde, em Buenos Aires, que vai recorrer das decisões, sentindo-se no direito de ganhar os pontos e de não pagar a multa. Bom dizer: independente do resultado do novo jogo, Brasil (39 pontos) e Argentina (35 pontos) estão classificados para a Copa do Mundo de 2022. Equador, Uruguai e Peru disputam as outras duas vagas.

Foto: Esporte R7