A trigésima edição da Copa do Brasil, que começou a ser disputada em 1989, pode apontar na noite desta primeira quarta (4) de setembro para um Grenal inédito ou uma final dos maiores campeões. A maior vantagem está com o Grêmio, que venceu (2 x 0) o Atlético Paranaense e pode perder por um gol em Curitiba. O Internacional, que venceu (1 x 0) o Cruzeiro, só precisa do empate em Porto Alegre.

QUINTA VEZ – Primeiro campeão (invicto) da Copa do Brasil em 1989, o Grêmio está pela quinta vez na semifinal, repetindo 96 com o Flamengo, 2010 com o Atlético Goianiense, 2012 com o São Paulo, 2013 com o Goiás e 2017 com o Botafogo. O Atlético Paranaense, que nunca foi campeão, tem o vice da final de 2013, que perdeu para o Flamengo. O Grêmio não terá o artilheiro Everton, suspenso.

O MAIOR – Atual bi e seis vezes campeão, o Cruzeiro tem missão mais complicada para se classificar, após perder (1 x 0) o jogo de ida no Mineirão, que levou o técnico Mano Menezes a pedir demissão (ele acertou ontem, 3, com o Palmeiras até dezembro de 2021). O Cruzeiro tem que vencer por dois gols. Se ganhar por um gol, decide em pênaltis. 

INVICTOS – Bom lembrar: os três primeiros campeões da Copa do Brasil ganharam sem derrota: Grêmio (1989)Flamengo (1990) eCriciúma (1991). Por coincidência, só os dois maiores campeões ganharam dois títulos invictos: Grêmio em 94 e 97, e Cruzeiro em 2000 e 2003. O Palmeiras também foi campeão invicto em 2012.

O ARTILHEIRO – O principal artilheiro da Copa do Brasil é Fred, do Cruzeiro, que marcou 14 gols em 2005. O segundo, por diferença de um gol, é Deivid, do Corinthians, com 13, em 2002. Se Grêmio e Cruzeiro fizerem a decisão, o futebol gaúcho ou mineiro se isolará como segundo maior vencedor da Copa do Brasil com 8 título. São Paulo lidera com 9.

O PRÊMIO – Na noite desta quarta (4) também serão conhecidos os ganhadores do maior prêmio da Copa do Brasil, de R$52 milhões para o campeão, e R$21 milhões para o vice. A decisão será em dois jogos este mês, nos dias 11 e 18.