O bilionário ítalo-americano Rocco Comisso, de 70 anos, dono da Fiorentina desde 6 de junho de 2019, quando pagou à vista 165 milhões de euros, na época, 750 milhões de reais, aos irmãos Diego e Andrea Della Valle, disse ontem (7), depois do 0 x 0 com o Parma, pela sétima rodada do Campeonato Italiano, no estádio Ennio Tardini, que “a Fiorentina só aceita pagamento à vista pela venda de Pedro”. Commisso fez o comentário, diante do interesse do Flamengo de parcelar a compra do atacante.

A FIORENTINA, de acordo com o presidente, pode negociar Pedro com outros clubes, e em condições ainda mais vantajosas, não com objetivo de lucro, mas de cobrir o que gastou, de uma só vez, quando comprou o jogador do Fluminense, no dia 2 de setembro de 2019, depois de aprovado nos exames médicos. Rocco Commisso lembrou que Pedro foi empréstimo sem que a Fiorentina nada recebesse, mas o Flamengo se comprometeu com o pagamento dos 14 milhões de euros de uma só vez. 

PATRIMÔNIO – Fundador, presidente e diretor-executivo da Mediacom, quinta maior empresa de televisão a cabo dos Estados Unidos, onde também é dono do New York Cosmos, Rocco Commisso, nascido em Marina de Gioiosa, na região da Calábria, no belo Sudoeste italiano, tem patrimônio líquido avaliado em 10 bilhões de dólares! Fascinado por futebol, recorda Julio Botelho (Julinho), ponta-direita do primeiro título italiano da Fiorentina, em 55-56, como o maior jogador da história do clube.

ÚNICO HOJE – Além de Julinho, um dos notáveis da história do Palmeiras, a Fiorentina teve outros brasileiros e dois foram capitães do time: Sócrates, entre 84 e 85, quando marcou 9 gols em 29 jogos, e Dunga, entre 88 e 92, com 8 gols em 124 jogos. Bem antes deles, o meia gaúcho Chinesinho, que também brilhou no Palmeiras e foi da Fiorentina, entre 57 e 64. Do grupo atual de 30, só há um brasileiro, o zagueiro Igor Julio, de 22 anos, mineiro de Bom Sucesso, a 190 km de Belo Horizonte, emprestado pelo SPAL de Ferrara. Bom lembrar: após a Copa de 90 na Itália, quando dirigiu a seleção, Sebastião Lazaroni foi o único técnico brasileiro da Fiorentina, entre 90 e 92.

QUASE DE SAÍDA – Giuseppe Iachini, de 56 anos, meia que em 88 disputou os Jogos Olímpicos de Seul, está quase de saída da Fiorentina. O empate sem gol com o Parma, ontem (7), deixou o presidente Rocco Commisso muito aborrecido com a atuação do time, que Iachini comanda, até mesmo a da maior estrela, o atacante francês Franck Ribéry, de 37 anos, contratado no final de 2019, depois de doze temporadas de sucesso no Bayern Munique, com 124 gols em 424 jogos. Entre os 20, a Fiorentina está em décimo segundo, com 7 pontos em 7 rodadas – 2 vitórias, 2 empates, 3 derrotas – e saldo negativo de 2 gols (10 a 12).

Foto: Italy24News English