Três dias depois de ter igualado o Cruzeiro, com oito vitórias consecutivas, quando ganhou os títulos de 2003 e 2013, o Flamengo pode chegar ao segundo recorde no Brasileirão 2019, caso vença o São Paulo, amanhã (28), no Maracanã, tornando-se o primeiro a ganhar nove jogos seguidos no maior campeonato de clubes do país.

DUAS SEMANAS – Amanhã (28) faz duas semanas que o Flamengo conquistou, pela primeira vez, o título simbólico de campeão do turno, ao vencer (1 x 0) o Santose terminar o turno em primeiro lugar com 42 pontos, cinco à frente do adversário. Em seu último título, em 2009, o Flamengo havia terminado o turno em sétimo lugar, com 29 pontos.

ÚLTIMO JOGO – Gabriel dirá um até breve à torcida no jogo com o São Paulo. Tanto ele quanto Rodrigo Caio, peças valiosas, que faltarão aos jogos complicados, com o Atlético Mineiro, no Maracanã, e mais ainda com o Atlético Paranaense, em Curitiba.Como o jogo seguinte, com o Fortaleza, também será fora, o artilheiro e o zagueiro só voltarão ao Maracanã, no Brasileirão, no Fla-Flu da rodada 27, quatro dias depois do jogo de volta com o Grêmio, valendo a tão esperada vaga para a final única da Libertadores. 

CUIDADO EM DOBRO – Por mais que o São Paulo seja apenas o sexto colocado, o Flamengo vai precisar de cuidado em dobro. A troca de técnico sempre motiva os jogadores, e o São Paulo estreará Fernando Diniz, dos mais capazes da nova geração. O pedido de demissão de Cuca surpreendeu o clube, que agiu rápido na nova escolha.

FERNANDO DINIZ fazia bom trabalho no Fluminense, quando foi demitido em agosto, por insistência de um dirigente, que ao contrário dele, não está acompanhando a evolução do futebol. Os jogadores lamentaram a saída, no momento em que a proposta de jogo era aceita e bem assimilada por todos. Na troca de técnico, o time não conseguiu evoluir.

BEM ACENTUADA – O Flamengo lidera com 48 pontos, 13 a mais que o São Paulo, e com mais seis vitórias (15 a 9). Mas o São Paulo só perdeu mais um jogo que o Flamengo (4 a 3). Só que no quesito gols, o Flamengo marcou mais que o dobro do São Paulo (47 a 23), mas a defesa do São Paulo, em 21 jogos, foi menos vazada que a do Flamengo (15 a 20). 

CENI DEMITIDO – Na rotina do futebol dependente de resultados, o Cruzeiro demitiu Rogerio Ceni. Anunciado no domingo, 11 de agosto, saiu ontem, 26 de setembro, um mês e meio depois de apenas oito jogos. O Cruzeiro preferiu se curvar aos caprichos de jogadores, que se opuseram frontalmente aos métodos do técnico.

ASSIM CAMINHA, sem que se saiba em que direção, o futebol brasileiro, corroído por administradores que criaram um calendário próprio. O mês deles, faz tempo, passou a ter mais de 30 dias, e em certos casos, até quase 90 dias.

Ainda bem que nas reformas que estão sendo feitas pelo governo, os clubes não terão que seguir os mexicanos, que pagam por quinzena, menos ainda os ingleses, que pagam por semana. É a lei trabalhista dos dois países, aplicada também no futebol. Sem o dia do perdão.