Sem surpresa, e como havíamos antecipado, o Flamengo subiu três posições, saltando do quinto para a vice-liderança, igual em pontos (17) ao líder Internacional, favorito no jogo de hoje (10), em Porto Alegre, com o Ceará, e ao São Paulo, que perdeu a chance de assumir a liderança e teve muita sorte de não sair derrotado do Morumbi, no 1 x 1 da noite de ontem (9) com o Bragantino, a quem faltou competência para aproveitar dois pênaltis, um fora, outro na trave.

BEM SUPERIOR – Com a quarta vitória consecutiva e há sete jogos sem perder, o Flamengo confirmou que é bem superior ao Fluminense, sem força ofensiva, que só conseguiu o gol, feito de cabeça por um zagueiro, quando o jogo estava decidido. O Flamengo vem acentuando o favoritismo em Fla-Flu, com 11 vitórias, incluída a da noite de ontem (9), só 3 derrotas e 7 empates. O último que o Fluminense ganhou (2 x 1) foi no domingo, 26 de junho de 2016, na Arena das Dunas, em Natal.

NO FLA-FLU 60 da noite de ontem (9), no Maracanã, o Flamengo teve méritos para ampliar a vantagem (24 a 20 vitórias, 16 empates), e já saiu para o intervalo com o jogo definido. Logo aos 8 minutos, Filipe Luis fez seu segundo gol em 21 jogos este ano, aproveitando o rebote do goleiro na cabeçada de Arrascaeta, e aos 34, Gabriel chegou aos 5 gols em 5 jogos, seu gol 16 em 22 jogos este ano, dividindo com o gaúcho Leo Gamalho, de 34 anos, do CRB, oitavo da Série B, a artilharia do Brasil em 2020.

QUANDO DIGÃO, zagueiro caxiense de 32 anos, aproveitou bem a estatura de 1,87m, para marcar de cabeça, o que alguns ainda chamam de gol de honra, o Fla-Flu estava nos acréscimos, aos 47 minutos, bem tarde para corrigir as falhas que o goleiro Muriel cometeu, em noite de atuação ruim, como a do time inteiro. Não havia mais tempo para evitar o terceiro jogo sem vitória. Dominado, falhando muito e sem criar nada, o Fluminense deve reconhecer que 2 x 1 ficou de bom tamanho.

FLAMENGO – Gabriel Batista, Isla (Mateuzinho), Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luis; Tiago Maia (Michael), Gerson, Diego (Arão) e Everton Ribeiro (Ramon, lateral-esquerdo de 19 anos, boa revelação da base); Arrascaeta (Vitinho) e Gabriel. Técnico – Domènec Torrent. Vice-líder com 17 pontos – 5 vitórias, 2 derrotas, 2 empates, saldo de dois gols (13 a 11) -, o Flamengo será visitante no próximo domingo (13), na Arena Castelão, com o Ceará, que joga hoje (10), em Porto Alegre, com o Inter.

FLUMINENSE – Muriel, Calegari, Digão, Lucas Claro e Egidio; Yuri Lima (Yago Felipe), Dodi e Michel Araújo (Caio Paulista); Fernando Pacheco (Fred), Nenê (Luis Henrique) e Wellington Silva (Marcos Paulo). Técnico – Odair Hellmann. Com 11 pontos em 9 jogos – 3 vitórias, 4 derrotas, 2 empates, saldo negativo de dois gols (10 a 12) – o time ainda pode perder mais uma posição e terminar a nona rodada em décimo lugar, se o Ceará, com 10 pontos, ao menos empatar com o líder Internacional. O Fluminense volta ao Maracanã, domingo (13), para o jogo da décima rodada com o Corinthians.

ARBITRAGEM – Raphael Claus, de 41 anos, da Federação Paulista e da FIFA, teve atuação segura. Nos acréscimos do primeiro tempo, os únicos cartões amarelos que aplicou: em Gerson, pela falta dura no meia uruguaio Michel Araújo, também advertido por ter reclamado. Quando estava 2 x 0, anulou bem o gol de Everton Ribeiro porque o lateral chileno Isla estava impedido ao receber a bola para o cruzamento. Bom dizer: Raphael Claus ou Wilton Sampaio, da Federação Goiana, será o árbitro brasileiro na Copa do Mundo de 2022.

Foto: Yahoo Notícias e Torcida Flamengo