Com a vitória sobre o Grêmio e o empate do Palmeiras com o Bahia, o Flamengo abriu treze pontos de vantagem (81 a 68) e pode ganhar dois títulos em dois dias: o da Libertadores, sábado (23), e o do Brasileirão, sem precisar entrar em campo domingo (24), desde que o Palmeiras não vença o Grêmio, em São Paulo.

UM RECORDE – O Flamengo quebrou o tabu de nunca ter ganho em nove jogos na Arena Grêmio e estabeleceu o recorde de 25 vitórias no Campeonato Brasileiro, superando as 24 do Cruzeiro (2014), Corinthians (2015) e Palmeiras (2016). Décima vitória como visitante, sexta no returno, em que só empatou (2 x 2) com o Goiás, no Serra Dourada.

O ATAQUE – Com 73 gols em 34 jogos – média de 2.14 gols por jogo -, o ataque mais positivo do Brasileirão 2019 marcou 46 gols e o da vitória sobre o Grêmio foi o vigésimo sétimo como visitante. Dos 30 gols sofridos, a defesa do Flamengo levou mais gols em casa (16) do que como visitante (14). Nos 34 jogos, só não foi vazada em sete.

O PÊNALTI – Foi a quinta vitória do Flamengo por 1 x 0, terceira no returno, e o árbitro Raphael Claus, da Federação Paulista e da FIFA, teve convicção na marcação do pênalti quando a bola bateu na mão esquerda de Leonardo Moura, e não recorreu ao VAR. Com a mesma certeza, não marcou pênalti, quando a bola bateu na mão de Renê.

A MARCA – Artilheiro do Brasileirão 2018 com 18 gols pelo Santos, Gabriel aumentou a vantagem ao converter o pênalti, aos 34 do primeiro tempo, marcando seu gol 22 no Brasileirão 2019. Ele também superou a marca de 21 gols de Zico, então o maior artilheiro do campeonato quando o Flamengo ganhou os títulos de 1980 e 1982.

A EXPULSÃO – Gabriel também está na linha de frente de duas outras marcas: a de reclamação e a de deboche. Foi expulso aos 28 do segundo tempo, após cartão amarelo por uma reclamação, e pelo segundo amarelo, seguido do cartão vermelho, após debochar do árbitro, com sorriso irônico, pela marcação da falta que cometeu.

CINCO DEDOS – Ao deixar o campo, Gabriel debochou dos torcedores do Grêmio, ao abrir bem a mão direita, e com um dos dedos da mão esquerda, relembrar os 5 x 0 da semifinal da Libertadores no Maracanã. Foi seu segundo ato de deboche no jogo de ontem (17), na Arena do Grêmio.

ARBITRAGEM – Raphael Claus, árbitro paulista da FIFA, teve outra atuação segura e correta. Além dos dois amarelos, seguidos do vermelho, na acertada expulsão de Gabriel, advertiu Rodinei e Piris da Motta, e AlissonConvicto – bom repetir -, não precisou do auxílio do árbitro de video para marcar com acerto o toque de mão de Leonardo Moura.

GRÊMIO – Paulo Victor, Leonardo Moura (Felipe Vizeu, 32 do segundo tempo), Geromel (cap), David Braz e Cortez; Michel (André, 21 do segundo tempo), Maicon e Tardelli (Pepê, intervalo); Alisson, Luciano e Everton. Nona derrota, quarta em casa, segunda no returno, mas o time se manteve em quarto com 56 pontos, nove abaixo do Santos e três acima do São Paulo.

FLAMENGO – Diego Alves, Rodinei, Rodolfo, Thuler (Rodrigo Caio, 39 do segundo tempo) e Renê; Piris da Mota, Diego (cap) (Vinícius Souza (20 do segundo tempo), Lucas Silva (Everton Ribeiro, 10 do segundo tempo) e Arrascaeta; Reinier e Gabriel. No próximo jogo, com o Ceará, no Maracanã, Bruno Henrique, Arão e Gerson, que cumpriram suspensão, reaparecerão.

OUTRO RECORDE -Grêmio 0 x 1 Flamengo, neste domingo (17), em Porto Alegre, registrou R$1.175.820,00 – 28.541 pagantes -, elevando para R$89 milhões o recorde do Flamengo em 2019, com média de 52 mil pagantes por jogo. Esses números superam os do Brasileirão de 2015, em que o Corinthians teve arrecadação de R$83 milhões.

Foto: Reprodução