O dia da primeira grande decisão de 2021 do futebol brasileiro está marcado: domingo, 11 de abril. Local e hora estão sendo definidos pela Confederação Brasileira de Futebol, que anunciará nos próximos dias, onde Flamengo e Palmeiras farão o jogo único da Supercopa do Brasil, a ser disputada este ano pela quarta vez, todas com a participação de equipes cariocas. Em 1990, o Grêmio venceu o Vasco; em 1991, o Corinthians ganhou do Flamengo, que em 2020 derrotou o Athletico Paranaense.

A SUPERCOPA DO BRASIL só foi disputada em jogos de ida e volta em 1990, quando o Grêmio venceu (2 x 0) o Vasco, no antigo estádio Olímpico, em Porto Alegre, e empatou (0 x 0) em São Januário. Em 1991, em jogo único, o Corinthians venceu (1 x 0) o Flamengo, no estádio do Morumbi. Em 2020, também em jogo único, mas em campo neutro, o Flamengo ganhou (3 x 0) do Athletico Paranaense, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. A Supercopa do Brasil não foi disputada entre 1992 e 2019.

A PRIMEIRA – Vasco, campeão brasileiro de 89, e Grêmio, campeão da primeira Copa do Brasil em 89, decidiram a primeira Supercopa do Brasil em março de 1990. No estádio Olímpico, dia 14, Grêmio 2 x 0 Vasco, gols de Nilson e Darci. No estádio de São Januário, dia 18, 0 x 0. Grêmio campeão – Mazaropi, Alfinete, Luis Eduardo, Vilson e Helcio; Jandir, Cuca, Adilson e Darci; Paulo Egídio e Nilson. Técnico – Evaristo de Macedo.

VASCO – Acácio, Luis Carlos Winck, Marco Aurelio, Quiñonez e Mazinho; Andrade, Tita, William (Zé do Carmo) e Bismarck; Bebeto e Roberto Dinamite (Sorato). Técnico – Alcir Portela, capitão do primeiro time do Vasco, campeão brasileiro em 1974. Bom lembrar: em Grêmio 2 x 0 Vasco, o público foi de 34.461 pagantes, no estádio Olímpico, em Porto Alegre; em São Januário, com a derrota do Vasco no primeiro jogo, Vasco 0 x 0 Grêmio teve apenas 2.932 pagantes.

A SEGUNDA – Corinthians, pela primeira vez campeão brasileiro em 1990, e Flamengo, pela primeira vez campeão da Copa do Brasil em 1990, decidiram a Supercopa do Brasil de 1991, na tarde do domingo, 27 de janeiro de 1991, diante – acreditem! – de 2.706 pagantes, no estádio do Morumbi. O Corinthians venceu por 1 x 0, gol do meia Neto, aos 25 minutos do segundo tempo, em jogo de muito empenho, mas pouco nível técnico.

CORINTHIANS – Ronaldo, Giba, Marcelo, Guinei e Jacenir; Marcio, Tupãzinho (Edson) e Neto; Fabinho, Paulo Sergio e Mauro (Ezequiel). Técnico – Nelsinho Batista. FLAMENGO – Zé Carlos, Ailton, Adilson, Rogério e Piá; Uidemar, Junior e Marcelinho Carioca; Alcindo, Nelio e Zinho. Técnico – Vanderlei Luxemburgo.

A TERCEIRA – Flamengo, campeão brasileiro de 2019, e Athletico Paranaense, campeão da Copa do Brasil de 2019, decidiram em jogo único a Supercopa do Brasil de 2020, na manhã do domingo, 16 de fevereiro, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, com 48.009 pagantes. Na tribuna, o presidente Jair Bolsonaro assistiu, entre o então ministro Sergio Moro, da Justiça, e Rogerio Caboclo, presidente da CBF. Flamengo 3 x 0, Bruno Henrique aos 15 e Gabriel aos 29, e Arrascaeta, aos 23 do segundo tempo.

FLAMENGO – Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luis (Renê); Arão, Gerson, Everton Ribeiro (Diego) e Arrascaeta (Michael); Gabriel e Bruno Henrique. Técnico – Jorge Jesus. O Flamengo havia sido eliminado pelo Athletico Paranaense nas quartas de final da Copa do Brasil, no Maracanã (3 x 1 nos pênaltis), após 1 x 1, mesmo placar do jogo de ida na Arena da Baixada, em Curitiba.

ATHLETICO – Santos, Khellven (Canesin), Lucas Halter, Tiago Heleno e Marcio Azevedo (Abner); Erick, Wellington e Leo Cittadini (Bissoli); Nikão, Rony e Marquinhos (Gabriel). Técnico – Dorival Junior. O Athletico foi campeão da Copa do Brasil ao vencer (2 x 1) o Internacional, na Arena Beira Rio, em Porto Alegre, depois de perder (1 x 0) o primeiro jogo na Arena da Baixada, em Curitiba.

PRÊMIO – Ao confirmar o domingo, 11 de abril, local e horário da decisão da Supercopa do Brasil 2021, a Confederação Brasileira de Futebol deverá anunciar também o prêmio ao campeão e ao vice. Em 2020, o Flamengo recebeu R$5 milhões, e o Athletico Paranaense, R$2 milhões.

Foto: Tocedores