O Boavista se classificou para a final da Taça Guanabara, que decidirá pela terceira vez com o Flamengo, franco favorito, ao empatar (1 x 1) com o Volta Redonda, ontem (16), no estádio Elcyr Resende, em Bacaxá, distrito de Saquarema, na bela Região dos Lagos. O jogo será no sábado de Carnaval (22), às 18 horas, no Maracanã, sem vantagem. Em caso de empate, pênaltis. Flamengo e Boavista decidiram em 2011 e em 2018.

SEM INGRESSO – Não houve cobrança de ingresso no jogo de ontem (16) e os torcedores puderam entrar mediante um quilo de alimento não-perecível. O Boavista se classificava com o empate, por ter feito melhor campanha – foi o primeiro do Grupo A – e já saiu para o intervalo em vantagem, com o gol de Caio Dantas, de cabeça, desviando falta cobrada pelo lateral Jean aos 29 minutos. 

VAR NO PÊNALTI – O meia Marcelo fez o gol de empate do Volta Redonda, aos 33 do segundo tempo, convertendo o pênalti do meia Tartá no lateral Oliveira. O árbitro Rodrigo Carvalhaes de Miranda foi preciso na marcação, mas consultou o VAR, após ouvir muita reclamação dos jogadores do Boavista. O árbitro de video confirmou e Marcelo bateu forte, sem chance para o goleiro Douglas.

BOAVISTA – Klever, Wellington, Douglas, Elivelton e Jean; Bob, Renan (Soares), Erick e Tartá (Thiago); Michel (Victor) e Caio Dantas. Técnico – Paulo Bonamigo.

VOLTA REDONDA – Douglas, Oliveira, Heitor, Daniel e Luis Paulo; Wiliam, Bruno, Wallison (Saulo) e Marcelo; Pedrinho e João Vítor (Bernardo). Técnico – Luizinho Vieira.

A FINAL DE 2011 – A primeira decisão da Taça Guanabara entre Flamengo e Boavista foi no domingo, 27 de fevereiro de 2011, no antigo Engenhão, atual estádio Nilton Santos. O Flamengo ganhou (1 x 0) com o belo gol de falta de Ronaldinho Gaúcho, ao melhor estilo Zico, aos 26 do segundo tempo. Ronaldinho levou a taça para ser tocada pelos torcedores e liderou a comemoração com o Bonde do Mengão Sem Freio.

QUINTO TIME – Recebido por mais de 20 mil torcedores na Gávea, Ronaldinho fez pelo Flamengo 28 gols em 72 jogos, entre 2011 e 2012. Foi seu quinto time, depois do Grêmio, PSG, Barcelona e Milan, antes de encerrar no Atlético Mineiro, Querétaro (México) e Fluminense, em 2015, com o total de 301 gols em 788 jogos. Ele desfilou no Carnaval carioca de 2011 pela Portela e Grande Rio.CAMPEÕES DE 2011 – Dirigido por Vanderlei Luxemburgo, o time campeão da decisão da Taça Guanabara de 2011 foi Felipe, Léo Moura, Welinton, David Braz e Egídio (Diego Maurício); Williams, Maldonado, Renato e Tiago Neves (Ronaldo Angelim); Botinelli (Negueba) e Ronaldinho Gaúcho.

QUATRO DE 2018 – O goleiro Cesar – reserva de Diego Alves -, o lateral-esquerdo Renê – suplente de Filipe Luis -, e os meias Everton Ribeiro e Diego são remanescentes da final de 2018 da Taça Guanabara, que o Flamengo venceu (2 x 0, gols de Kadu, contra, e Vinícius Júnior), no domingo, 18 de dezembro, diante de 17.787 torcedores, no estádio Kleber Andrade, em Cariacica, município capixaba da Grande Vitória.

2 x 0 NA FINAL – Há dois anos, quando Flamengo e Boavista voltaram a decidir a Taça Guanabara, dia 18 de fevereiro de 2018, os gols foram de Kadu (contra) e Vinícius Júnior, ambos no segundo tempo. Paulo Cesar Carpegiani era o técnico e o time foi César, Pará (Rodinei), Rever, Rodolfo e Renê; Cuellar (Jonas), Paquetá (Vinícius Júnior), Diego e Everton Ribeiro; Henrique Dourado e Everton.

Bom lembrar: Carpegiani foi o técnico campeão da Libertadores e do Mundial de clubes de 1981. EQUIPE MISTA – Considerando-se que a final da Taça Guanabara será entre os jogos de ida e volta da decisão da Recopa Sul-Americana, com o Independiente del Valle, do Equador, quarta (19), na altitude de 2.850 metros de Quito, e quarta (26), no Maracanã, é até possível que o Flamengo escale uma equipe mista para a decisão com o Boavista, no próximo sábado (22), às 18 horas, no Maracanã. Seja como for, o Flamengo é franco favorito.