O Flamengo fez a quina e manteve o tabu de ganhar sempre do Junior, no Rio ou em Barranquilla, como na noite de ontem (4), no estádio Metropolitano, na quinta vitória em cinco jogos, o terceiro pela Libertadores. Mesmo sem quatro dos titulares mais importantes – Rafinha, Rodrigo Caio, Willian Arão e Bruno Henrique -, as peças de reposição mantiveram o rendimento elevado do time, que estreou bem e com autoridade de campeão.

NOVO ARTILHEIRO – Não só pelos dois gols, mas pela atuação como um todo, Everton Ribeiro esteve de novo entre os destaques da estreia vitoriosa do Flamengo na fase de grupos da Libertadores 2020, em que o objetivo é ganhar o título pelo segundo ano consecutivo, algo inédito na história do clube.  Everton Ribeiro fez 1 x 0, com bela assistência de Arrascaeta aos 5, e no segundo tempo, com uma cavadinha aos 34, bem servido por Michael. Quando Téo Gutierrez fez o gol do Junior, aos 49, não havia tempo para mais nada.

OS CARTÕES – O lateral-esquerdo Gabriel Fuentes foi alvo do lateral João Lucas e do atacante Gabriel, entre os quatro advertidos do Flamengo. Filipe Luis foi outro a cometer falta dura no lateral-direito Piedrita, e Diego Alves, outra vez bem, apesar de não muito exigido, incidiu no retardo do jogo. O único cartão dos colombianos e primeiro do jogo, logo aos oito minutos, foi pela reclamação do atacante Miguel Borja. Vi como boa a atuação do venezuelano Alexis Herrera.

MARCA INÉDITA – A vitória na estreia aumenta a motivação do Flamengo para alcançar a marca inédita de vencer todos os seis jogos da fase de grupos, o que só três times conseguiram desde que a Libertadores passou a esse formato: o Vasco, em 2001; o Santos em 2007 e o Boca Juniors em 2015. O jogo da próxima quarta (11), no Maracanã, é de reencontro com o Independiente del Valle, que ontem (4) impôs 3 x 0 ao Barcelona, em Guayaquil.

A DIFERENÇA – O Independiente lidera o Grupo A pela diferença de um gol, que o Flamengo pode reverter com o apoio dos mais de 50 mil que estarão no Maracanã. Bom dizer: nos 100% de aproveitamento dos brasileiros na abertura da fase de grupos, só o Santos e o Flamengo sofreram gol nos 2 x 1 no Defensa y Justicia e no Junior. Inter e Athletico, que jogaram em casa, ganharam de 3 x 0 e 1 x 0, e o Grêmio, outro visitante, fez 2 x 0.

SÃO PAULO NA ALTITUDE – Sétimo e último time brasileiro a estrear na fase de grupos da Libertadores 2020, na noite de hoje (5), o São Paulopode sentir os efeitos dos 3.825 metros da altitude do estádioGuillermo Briceño Rosamedina, no ponto mais alto de Juliaca, cidade do Sudeste do Peru, a 1.272 km da capital Lima. O adversário é o Binacional, atual campeão nacional, mas com pouca tradição, fundado há apenas 10 anos.

O SÃO PAULO entrou no chamado Grupo da Morte, com o River Plate, atual vice-campeão, e a LDU, do Equador, também com seus problemas muito complicados para os visitantes. Espera-se que o tricolor do Morumbi, três vezes campeão da Libertadores, mantenha os 100% de aproveitamento dos brasileiros na abertura da fase de grupos. 

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo