Escolha uma Página

A VAGA NA FASE DE GRUPOS da Libertadores. Foi tudo o que o Flamengo conseguiu em 2023, apesar de milhões em investimentos e de indenizações vultosas a técnicos estrangeiros. O único dos objetivos da temporada sem título só foi alcançado depois da contratação de Tite, que manteve o time em 3º, com a 7ª vitória em 11 jogos, no 2 x 1 de ontem (3) sobre o Cuiabá, com 63.148 pagantes no Maracanã. R$4.167.245,00.

IGUAL AO ATLÉTICO MINEIRO em pontos (66), vitórias (19), empates e derrotas (9), o Flamengo é 3º por ter menos 8 gols de saldo (15 a 23), e ambos, mesmo que vençam, e o Palmeiras perca na última rodada, só empatariam em pontos (69) e em vitórias (20), mas perderiam no saldo muito superior do Palmeiras (31), ataque mais positivo, com 63, e segunda defesa menos vazada (32); o Atlético fez 51 e sofreu 28, e o Flamengo marcou 56 e sofreu 41.

O FLAMENGO voltará 4ª feira (6) ao Morumbi, onde perdeu a última decisão de 2023, a da Copa do Brasil para o São Paulo (1 x 1), que havia vencido no Maracanã (1 x 0). A expectativa agora é em torno da reformulação do elenco, iniciada com a aposentadoria do lateral Filipe Luis, capitão até os 35 do 2º tempo, substituído por Ayrton Lucas, e a saída de Rodrigo Caio, que só entrou aos 45 do 2º tempo, quando Leo Pereira foi advertido com o terceiro cartão amarelo.

COM TITE, que só queria assumir em 2024, o time fez sete jogos como mandante: 1 x 0 no Vasco e Bragantino; 1 x 1 no Fla-Flu; 1 x 2 com o Santos (de virada); 3 x 0 no Palmeiras; 0 x 3 com o Atlético Mineiro, e 2 x 1, ontem (3), no Cuiabá. Nos quatro jogos como visitante, 2 x 0 no Cruzeiro e Fortaleza; 3 x 0 no America Mineiro, e a derrota (3 x 2 de virada) para o Grêmio. Pedro está terminando a temporada como artilheiro do time (35), com o gol da vitória sobre o Cuiabá.

Foto: Marcelo Cortes/Flamengo e GILVAN DE SOUZA/FLAMENGO