O Flamengo decepcionou no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores e perdeu (2 x 0) do Emelec, que jogou com menos um desde os oito minutos do segundo tempo, quando o zagueiro argentino Leandro Vega foi bem expulso, depois de atingir a cabeça de Rafinha com o pé esquerdo. O Emelec já vencia com o gol do meia Wilmer Godoy aos 11 do primeiro tempo, e mesmo após a expulsão conseguiu o segundo gol com o atacante Romario Caicedo aos 34. Na próxima quarta (31) no Maracanã, o Flamengo terá que fazer 3 x 0 ou pelo menos devolver os 2 x 0 para decidir nos pênaltis a vaga para as quartas de final.

PIOR JOGO – Foi o quinto e pior jogo do Flamengo desde que o técnico Jorge Jesus – completou 65 anos ontem (24) – assumiu – e sofreu a primeira derrota -, até mesmo em comparação com o segundo 1 x 1 com o Atlético Paranaense, no Maracanã, quando foi eliminado da Copa do Brasil nos pênaltis. Difícil dizer em que tempo o Flamengo foi pior em campo na derrota para o Emelec, modesto oitavo do Campeonato do Equador. O Flamengo criou pouco, marcou mal e as peças de reposição não funcionaram.

BEM VELOZ – O Emelec imprimiu ritmo bem veloz e fez 1 x 0 logo aos 11 minutos, com o meia Wilmer Godoy, 25 anos, 1,78m, finalizando de canhota, rasteiro, no cantinho direito, rente à trave, após o cruzamento que atravessou a área do Flamengo sem nenhuma interceptação. Mesmo com dez, pela expulsão de Vega aos oito do segundo tempo, o Emelec soube se defender e marcar o segundo gol, aos 34, com leve desvio no lateral Renê, tirando muito a chance de defesa do goleiro Diego Alves.

SEM EFEITO – O Flamengo fez as três substituições em nove minutos, sem nenhum efeito prático: Lincoln entrou no lugar de Rodinei aos 11, e aos 20 o técnico queimou as duas últimas, com Cuellar no lugar de Arão e Lucas Silva no lugar de Gérson, outra vez apagado como na estreia com o Corinthians. Quando Diego saiu de maca, sentindo muita dor no tornozelo, as alterações estavam esgotadas e o muito que o Flamengo conseguiu foi a bola na trave, aos 39, em chute de Renê de fora da área.

FLAMENGO – Diego Alves, Rodinei (Lincoln), Leo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Rafinha, Arão (Cuellar), Gerson (Lucas Silva) e Diego; Gabriel e Bruno Henrique, dois dos piores do time. Lucas Silva e Lincoln, que perdeu chance incrível isolando a bola, também nada acrescentaram. O Flamengo terá que melhorar muito para conseguir devolver os 2 x 0 porque o Emelec é um time que se encolhe e contra-ataca com velocidade.

FLAMENGO sofreu quatro advertências com cartões amarelos: no primeiro tempo, Arão, aos 46, por falta em Bryan Cabezas. No segundo, Gerson, aos 17, por falta em Arroyo; Leo Duarte, aos 22, por falta em Godoy, e Bruno Henrique, aos 40, por falta em Angulo. O árbitro argentino Fernando Rapallíni, com boa atuação, advertiu Guerrero, aos 12 do primeiro tempo, por falta em Rodinei, e expulsou o zagueiro Vega, que atingiu a cabeça de Rafinha.

EMELEC – Dreer, Bryan Caicedo, Jaime, Vega e Bagui; Arroyo, Queiroz (Mejia, 11 do segundo tempo), Godoy e Angulo; Guerrero (Carabalí, 36 do segundo tempo) e Bryan Cabezas (Orejuela, 5 do segundo tempo). O Emelec pode perder por um gol na próxima quarta (31), no Maracanã. O vencedor de Flamengo x Emelec jogará nas quartas de final com o vencedor de Nacional (Uruguai) x Internacional, que saiu na frente com o 1 x 0 da noite de ontem (24), em Montevidéu.

Foto: Lance