Escolha uma Página

A DERROTA DESTE DOMINGO (17) no Maracanã para o São Paulo por 1 x 0, com o recorde de R$26.343.300,00, em jogo entre clubes brasileiros, não quer dizer que esteja tudo perdido para o Flamengo na decisão de 180 minutos, porque a vitória simples no Morumbi levará aos pênaltis, e por dois gols, dará ao clube a quinta Copa do Brasil, segunda consecutiva. Mas o Flamengo terá que jogar muito mais do que jogou diante dos 67.350 presentes (60.390 pagantes).

O FLAMENGO APAGOU, após os 10 minutos iniciais, e levou um banho tático do São Paulo, dirigido pelo técnico que lhe deu as Copas do Brasil e Libertadores de 2022, mas não teve o contrato renovado. O clube preferiu outras experiências, e segue acumulando eliminações, e pagando indenizações a técnicos inseguros, intranquilos e de competência questionável, do tipo de Jorge Sampaoli, que até voltou para o vestiário, antes que o árbitro apitasse o final do 1º tempo.

O SÃO PAULO DECIDIU aos 46 minutos, com uma cabeçada certeira do argentino Jonathan Calleri, livre, após cruzamento sob medida, de canhota, do meia Rodrigo Nestor. Os zagueiros Fabricio Bruno e Leo Pereira estavam adiantados, inteiramente fora do lance, e o goleiro Mateus Cunha falhou, ao não sair para cortar. O resultado premiou o 1º tempo bem superior do São Paulo, que voltou do intervalo com postura defensiva competente para manter a vantagem.

O FLAMENGO INICIOU o 2º tempo com uma substituição, a do apagado Victor Hugo por Everton Ribeiro, bem atuante de um lado e outro, mas não encontrou tanto espaço para criar. No trio de atacantes, só Bruno Henrique rendeu, ainda que pouco, porque a marcação do capitão Rafinha limitou muito suas ações. Pedro e Gabriel, que saiu sentindo a coxa, aos 29 minutos, entre os mais apagados. Pior, só Cebolinha, que substituiu Gabriel, muito vaiado na saída pelos torcedores.

O SÃO PAULO SÓ NÃO sentiu tanto o cansaço de alguns jogadores, principalmente o dos meias Alisson, Rodrigo Nestor e Lucas, porque teve em Gabriel Neves, Michel Araújo e Luciano boas peças de reposição. O Flamengo ainda trocou Wesley e Erick por Mateusinho e Tiago Maia, sem que tenham melhorado o rendimento. Poucas vezes o Flamengo saiu para o intervalo sem sequer um chute na direção do gol, e no geral, não exigiu nenhuma defesa difícil do goleiro Rafael.

FLAMENGO 0 x 1 SÃO PAULO de 35 faltas, 17 do Flamengo, e três cartões amarelos, todos no 1º tempo, por faltas normais de Leo Pereira em Rafinha aos 13 minutos; de Victor Hugo em Caio, aos 36, e de Alisson em Pedro, aos 37. O único erro do árbitro gaúcho Anderson Luis Daronco, que mostrou cartão amarelo para o zagueiro Beraldo, que estaria suspenso do jogo de volta, foi corrigido pelo VAR, monitorado pelo catarinense Helton Nunes.

FOI O 114º JOGO entre os times e o São Paulo ampliou a vantagem com 44 vitórias contra 38 do Flamengo e 32 empates. Flamengo e São Paulo disputaram o quinto jogo da Copa do Brasil, sem nenhum empate, e o São Paulo ficou em vantagem com a terceira vitória.

FLAMENGO – Mateus Cunha, Wesley (Mateusinho), Fabricio Bruno, Leo Pereira e Ayrton Lucas; Erick (Tiago Maia), Gerson e Victor Hugo (Everton Ribeiro); Gabriel (Cebolinha), Pedro e Bruno Henrique. Antes da final do próximo domingo (24) no Morumbi, em que pode ter a volta de Arrascaeta, recuperado de lesão na coxa, o Flamengo, 4º do Campeonato Brasileiro com 39 pontos, visitará o Goiás, 16º com 25 pontos, 4ª feira (20), no estádio da Serrinha, em Goiânia.

SÃO PAULO – Rafael, Rafinha, Arboleda, Beraldo e Caio (Wellington); Pablo Maia, Alisson (Gabriel Neves), Wellington Rato (Juan) e Rodrigo Nestor (Michel Araújo); Lucas (Luciano) e Jonathan Calleri. Nenhum dos seis pendurados com dois cartões amarelos foi advertido. Antes da final do próximo domingo (24), o São Paulo, 13º do Campeonato Brasileiro com 28 pontos, receberá o Fortaleza, 8º com 36 pontos, 4ª feira (20), no Morumbi.

Fotos: Metrópoles e Felipe Duest, Pera Photo Press)