Escolha uma Página

Com o primeiro título da Libertadores em final única e em estádio neutro, depois de 60 anos em jogos de ida e volta, o Flamengo teve o ataque mais positivo (24), o artilheiro – Gabriel, com 9 gols, e o melhor jogador do torneio, Bruno Henrique, com cinco gols e o primeiro em assistências (7).

DOIS FEITOS – Emprestado até o fim de 2019 pela Inter de Milão, sem custo para o Flamengo, que paga só o salário (em torno de R$1.300 mil), o atacante Gabriel termina o ano como artilheiro do Brasileirão (22 gols, ainda faltando quatro jogos), repetindo 2018, quando foi o principal goleador pelo Santos, e como artilheiro da Libertadores, com 9.

RENOVAÇÃO – O Flamengo ainda não tem a palavra dos agentes que cuidam da carreira de Gabriel sobre sua permanência, assim como o clube ainda não fez o acerto final com a Inter de Milão, que pede em torno de 22 milhões de euros para liberá-lo. O Flamengo não esconde a ansiedade pelo acordo, mas, ao mesmo tempo, pensa em outros nomes.

OUTRO FEITO foi o de Bruno Henrique, que terminou a Libertadores com cinco gols e com mais assistências, merecendo a escolha de Melhor Jogador da Libertadores 2019. Foi o primeiro dos premiados a receber a medalha da Conmebol, na cerimônia de encerramento da festa, no gramado do Estádio Monumental do clube Universitário. 

54 JOGOS, 40 GOLS – Enquanto Gabriel comemora 40 gols em 54 jogos e ainda pode aumentar os números, Bruno Henrique diz que “2019 é sem dúvida o melhor ano da minha vida profissional”. O atacante faz sempre questão de destacar o carinho dos torcedores e o apoio dos dirigentes: “Eu me dou muito bem e sou feliz no Flamengo”.

A CAMPANHA – Na fase de grupos, o Flamengo venceu o San José (Bolívia) – 1 x 0 e 6 x 1 -, ganhou da LDU (Equador) – 3 x 1 e perdeu (2 x 1) o segundo jogo – e não conseguiu fazer gol no Peñarol – 0 x 1 e 0 x 0 -, terminando em segundo lugar. Nas oitavas, com o Emelec, perdeu 2 x 0 e ganhou 2 x 0, classificando-se nos pênaltis (4 x 2).

SEMIFINAIS – Depois de fazer 1 x 0, o Flamengo cedeu o empate ao Grêmio no jogo de ida, em Porto Alegre, mas obteve no Maracanã sua mais expressiva vitória (5 x 0), antes de chegar à decisão, com exibição em noite de gala. A virada histórica (2 x 1) sobre o River Plate, nos quatro minutos finais, foi a cereja do bolo na notável conquista após 38 anos.

VALOR DO TÍTULO – Campeão de 2019, o Flamengo terá o prêmio mais elevado da história da Libertadores: 17 milhões de dólares, o equivalente a R$70 milhões, já incluídos os sete milhões de dólares recebidos até a fase das semifinais. O River, segundo colocado, terá o prêmio de 13 milhões dólares.

BOM LEMBRAR – Ao término da vitória do Flamengo sobre o River, a Confederação Sul-Americana de Futebol fez girar de modo contínuo, na publicidade da beira do gramado, que o jogo único da final da Libertadores de 2020 será no Maracanã.

Foto: Fernando Vergara/Associated Press