O COMUNICADO DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL (CBF) AO FLAMENGO, no início da noite de ontem (1), de que não adiará os jogos de outubro do Campeonato Brasileiro, que coincidam com os jogos das eliminatórias, nas datas Fifa, em que a cessão dos jogadores à seleção é obrigatória, tem tudo a ver com a política de baixo nível, que continua a exercer influência nociva no futebol. É bom que o Flamengo se prepare para outras decisões adversas. 

TRÊS CHANCES – O Flamengo tem chances reais da tríplice coroa – Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores -, o que provoca grande sentimento de inveja nos adversários, daí a CBF ter desrespeitado sua própria palavra da semana anterior, de que os jogos das equipes com jogadores convocados seriam adiados. O Flamengo teve quatro: dois da seleção brasileira (Everton Ribeiro e Gabriel); um da seleção uruguaia (Arrascaeta) e um da seleção chilena (Isla). 

SEM FIRMEZA – Há uma semana, a CBF decidiu que passaria os jogos das rodadas finais da Série A para a última semana de dezembro, mas sentiu, e não suportou, pressão fortíssima de jogadores de dezenove clubes, contrários ao adiamento. De acordo com a linha coerente de conduta, o Flamengo foi o único sem jogador a assinar o documento, e pagará o preço já nos dois próximos jogos, como visitante, com adversários diretos na disputa pelo título de campeão brasileiro.

QUARTO COM 35 pontos, 11 vitórias, menos 3 jogos, o Flamengo jogará amanhã (3) com o Athletico Paranaense, no Maracanã – jogo do returno, sem que  tenham disputado o jogo do turno -; quarta (6), em Bragança Paulista, com o Bragantino, quinto com 33 pontos, 8 vitórias, e sábado (9), em Fortaleza, com o Fortaleza, terceiro com 36 pontos, 10 vitórias. Os números serão alterados com os jogos que os times realizarão neste primeiro fim de semana de outubro. O terceiro jogo, em que o Flamengo não terá os convocados, será com o Juventude, dia 13, no Maracanã.

LÍDER E VICE-LÍDER – O Atlético, líder, 46 pontos, 14 vitórias, também teve quatro convocados – Arana (Brasil), Franco (Equador), Vargas (Chile) e Junior Alonso (Paraguai) – e jogará sem eles com Chapecoense (fora), Ceará e Santos (casa). O Palmeiras, vice-líder, 38 pontos, 12 vitórias, não contará com Weverton (Brasil), Gustavo Gomez (Paraguai) e Piquerez (Uruguai) nos jogos com América Mineiro e Bahia (fora), e Bragantino (casa). A diferença, dos adversários e de suas pretensões, é muito acentuada.

CONFLITO – O impasse sobre o adiamento dos jogos, enquanto os convocados estivessem ausentes, provocou conflito de opiniões na CBF, a partir do momento em que certos dirigentes voltaram a dizer que um precedente grave havia sido aberto. A quebra do acordo com a Federação de Jogadores, para que fosse respeitado o início das férias, após a rodada final, em 5 de dezembro, foi também argumento imposto à CBF para que os jogos, durante as datas Fifa, não fossem adiados. A maioria entendeu que nem tudo pode ser só como o Flamengo quer.

Foto: Lance!