Escolha uma Página

PRIMEIRA DECISÃO ENTRE OS DOIS ÚLTIMOS CAMPEÕES, EIS O DIFERENCIAL da primeira final brasileira da Libertadores, no estádio histórico da decisão da primeira Copa do Mundo, que o Uruguai ganhou em 1930, ao vencer a Argentina por 4 x 2. O estádio Centenário, inaugurado na 6ª feira, 18 de julho de 1930, com Uruguai 1 x 0 Peru, jogo de abertura da Copa, foi reconhecido 53 anos depois pela FIFA, em 1983, como Monumento Histórico do Futebol.

O NOME DO ESTÁDIO é em homenagem ao centenário da primeira Constituição do Uruguai, criada em 25 de agosto de 1830, e o lançamento da pedra fundamental foi feito no domingo, 21 de julho de 1929. O projeto foi do arquiteto Juan Antonio Scasso, presidente eleito do Peñarol em 1932, que não seguiu a linha arquitetônica dos estádios europeus. Ele criou quatro tribunas, que ganharam os nomes dos primeiros títulos do futebol uruguaio. 

A TRIBUNA OLÍMPICA, sob a qual estão a escola pública Hector Figoli, em homenagem ao técnico campeão sul-americano de 1920 e 1926, e o Museu do Futebol Uruguaio, com 21.648 lugares. A Tribuna América – 13.923 lugares – é o espaço neutro do estádio. A Tribuna Colombes – 13.914 lugares -, homenageia o estádio da 1ª medalha olímpica do futebol uruguaio, em 1924, na França, e a Tribuna Amsterdam – 13.923 lugares -, é em homenagem à capital da Holanda, onde o futebol uruguaio ganhou a segunda medalha olímpica de ouro em 1928.

O ESTÁDIO CENTENÁRIO é o primeiro a receber três finais internacionais brasileiras em uma semana. Sábado (20), o Athletico Paranaense ganhou a Copa Sul-Americana ao vencer o Bragantino por 1 x 0. Domingo (21), o Corinthians foi tricampeão da Libertadores feminina ao vencer o Independiente Santa Fé, da Colômbia, por 2 x 0, e amanhã, último sábado (28) de novembro, Flamengo e Palmeiras decidirão a Libertadores 2021.

PALMEIRAS x FLAMENGO será o 418º jogo internacional da história do mítico estádio Centenário, desde julho de 1930. O recorde de 72 mil pagantes foi no domingo, 3 de julho de 1960, no 0 x 0 Peñarol x Real Madrid, na primeira final intercontinental de clubes. No segundo jogo, em 4 de setembro, no estádio Santiago Bernabeu, o Real Madrid goleou por 5 x 1, com 2 de Puskas, Di Stefano, Herrera e Gento, e Spencer fez o gol do Peñarol.

O CENTENÁRIO é o estádio com mais jogos (470) da Libertadores, desde o da abertura, na 3ª feira, 19 de abril de 1960, Peñarol 7 x 1 Jorge Wilstermann, da Bolívia. O primeiro gol foi do ponta-esquerda uruguaio Carlos Borges, e o equatoriano Alberto Spencer fez 4 gols. Ele é, até hoje, o maior artilheiro da Libertadores com 54 gols, campeão das duas primeiras (1960 e 1961), e oito vezes campeão uruguaio pelo Peñarol. 

JOGO 149 DO FLAMENGO – O jogo de amanhã (27) será o 149º do Flamengo, em sua 8ª participação na Libertadores, com 81 vitórias, 32 empates, 35 derrotas, saldo de 113 gols, com 282 marcados e 169 sofridos. Desde 2017, esta é a maior sequência do Flamengo, participante pela 5ª vez consecutiva, primeira sem derrota em 12 jogos, com 9 vitórias, 3 empates e saldo de 20 gols, 32 marcados e 12 sofridos. 

JOGO 208 DO PALMEIRAS – Em sua 21ª participação, o Palmeiras, atual campeão, é o brasileiro com mais vitórias (116) e chegará amanhã (27) ao 208º jogo, tentando ser o terceiro a ganhar o segundo título consecutivo, depois do Santos (62-63) e do São Paulo (92-93). Depois do Palmeiras, os brasileiros com mais vitórias na Libertadores são o Grêmio (108), São Paulo (96) e o Flamengo (81). O recordista é o River (181) e o 2º é o Nacional do Uruguai (170).

PRORROGAÇÃO – Se empatarem, Flamengo e Palmeiras disputarão 30 minutos de prorrogação em dois tempos de 15, e em não havendo vencedor, o título será decidido nos pênaltis. Foi assim que o Palmeiras ganhou a primeira Libertadores de sua história, em 1999, por 4 x 3, na decisão com o Deportivo Cali.  Bom lembrar: no estádio Centenário, o Palmeiras perdeu a decisão de 68 para o Estudiantes, e o Flamengo ganhou a de 81 com o Cobreloa.

Foto: Plantão dos Lagos