Escolha uma Página

O FLAMENGO JÁ ENTROU SABENDO DA DERROTA DO ATLÉTICO, mas não soube aproveitar para diminuir a vantagem do líder, que poderia ser de 8 e não de 10 pontos, se houvesse ganhado do Cuiabá, na noite de ontem (17). Não soube e não teve competência, em seu primeiro 0 x 0, desde que o técnico Renato assumiu. Foi o terceiro jogo no Maracanã em que não fez gol, como nas derrotas para o Inter (4 x 0) e para o Grêmio (1 x 0). Uma atuação bem discreta do Flamengo.

FOI O SEGUNDO JOGO DO CUIABÁ NO MARACANÃ. O estreante na Série A do Campeonato Brasileiro voltou a mostrar boa postura, como no primeiro jogo, em que sofreu a única derrota (1 x 0) para o Fluminense, no domingo, 6 de junho, na segunda rodada. O Flamengo tentou, recorreu a quatro substituições, sem nada conseguir. O Cuiabá ocupou os espaços, foi limpo na marcação e soube sair em contra-ataques. O técnico Jorginho deu firmeza e personalidade ao time.

O FLAMENGO TERÁ MAIS TRÊS JOGOS CONSECUTIVOS no Maracanã, vantagem que precisa saber aproveitar, ainda mais agora, com a volta do apoio dos torcedores, que costumam fazer a diferença, desde, claro, que a equipe corresponda, o que não se viu no 0 x 0 com o Cuiabá. Dependente de alguns que podem decidir, a equipe teve em Everton Ribeiro e Gabriel, de volta da seleção, e Andreas, que empolgou no jogo com o Juventude, figuras simplesmente apagadas.

NÃO SE SABE A QUE PONTO A EQUIPE PODE CHEGAR, com a sequência de jogos, do Brasileiro e da Copa do Brasil, até que se aproxime a grande final de 27 de novembro da Libertadores. O Flamengo vai fazer quarta (20) o primeiro da semifinal com o Athletico, em Curitiba; sábado (23), o Fla-Flu; quarta (27), o jogo de volta com o Athletico; sábado (30), o jogo de seis pontos com o Atlético Mineiro, no Maracanã, e maratona continua em novembro.

DIEGO ALVES, 200 JOGOS, Mateuzinho, Leo Pereira, Bruno Viana e Filipe Luís, terceiro amarelo, fora do Fla-Flu; Willian, dos poucos que se salvaram, Tiago Maia (Kenedy, dois dos piores do 0 x 0), Andreas, entre os apagados, e Everton Ribeiro, irreconhecível; Michael, um gol, mas bem anulado, e substituído pelo zagueiro Gustavo Henrique (idea genial), e Gabriel, que saiu para Vitor Gabriel entrar aos 28 do segundo tempo, e sair sem ser notado. Não era o Flamengo.

Foto: Futebol na Veia