DEPOIS DE SEIS TRICAMPEONATOS, o Flamengo estreia amanhã (26) contra a Portuguesa como favorito a ser o primeiro tetracampeão carioca, consolidando a hegemonia que assumiu em 2011, ao superar o Fluminense. Atual tricampeão, o Flamengo tem mais seis títulos que o Fluminense (37 a 31), mais 13 que o Vasco (24) e mais 16 que o Botafogo (21). Dos seis tricampeonatos, só o primeiro, em 42-43-44, sob o comando do técnico Flávio Costa, foi antes do Maracanã.

O FLAMENGO QUEBROU O JEJUM de oito anos sem títulos, ao ganhar em 53-54-55, dirigido pelo técnico paraguaio Fleitas Solich, o primeiro tricampeonato no então maior estádio do mundo. Os quatro seguintes foram em 78-79-79 (Especial), 99-2000-2001, 2007-08-09, e o atual, 2019-20-21. Em 1953, o time marcou 77 gols em 27 jogos; em 1954, fez 64 gols em 27 jogos, e em 1955, 87 gols em 30 jogos, passando a ser chamado de Rolo Compressor.

NOS TRÊS PRIMEIROS JOGOS, a partir de amanhã (26), o Flamengo será representado pelo sub-20, que ele dirigiu nos dois primeiros jogos da Copa São Paulo. O time principal estreará sob a direção do técnico português Paulo Sousa no Fla-Flu da 4ª rodada. Embora o foco principal seja a recuperação da Libertadores, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro, que escaparam em 2021, a equipe se manterá forte na fase final do Carioca para conquistar o inédito tetra.

O FLAMENGO MANDARÁ OS JOGOS no estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador, enquanto o Maracanã continua cuidando do gramado, que terminou 2021 em condições precárias e sob muita crítica dos jogadores e dos técnicos. A Portuguesa, adversário de estreia, ficou em terceiro no ano passado e pouco se reforçou para este ano, embora esteja também na Copa do Brasil e na Série D do Brasileiro. O paulista Marcus Grippi, de 40 anos, ex-Caldense, é o técnico.

O FLAMENGO DIVIDE COM O FLUMINENSE o recorde de público da história do Campeonato Carioca, com 177.020 pagantes, na tarde do domingo, 15 de dezembro de 1963, em que foi campeão com 0 x 0. Em finais históricas, o Flamengo teve a consagração do zagueiro paulista Rondinelli, que marcou de cabeça, nos minutos finais, o gol do título de 1981 na decisão com o Vasco, após escanteio que Zico bateu da direita.

ZICO, MAIOR ARTILHEIRO E ÍDOLO, é a principal referência do Flamengo com 509 gols em 732 jogos, entre 1974 e 1983. Com 25 títulos – 7 de campeão carioca e 3 de campeão brasileiro -, foi o capitão do único time da história de 125 anos do clube que ganhou a Libertadores e o Mundial de clubes em 1981. Zico detém o recorde de gols no Maracanã, com 334 em 430 jogos, nos dois períodos em que jogou no Flamengo, de 71 a 83 e de 85 a 89.

Foto: Coluna do Fla