O Flamengo tornou-se o primeiro bicampeão da Supercopa do Brasil, ao vencer o Palmeiras por 6 x 5 nos pênaltis, após 2 x 2 nos 90 minutos, na tarde de hoje (11), um ano e dois meses depois da primeira conquista, com 3 x 0 no Athletico Paranaense, também no estádio Mané Garrincha, em Brasília, no domingo, 16 de fevereiro de 2020. Diego Alves, de 35 anos, goleiro do Flamengo, defendeu quatro das nove cobranças de pênaltis, e dedicou o título ao técnico Rogerio Ceni: “Ele merece muito”.

VIRADA – O Palmeiras fez 1 x 0 aos 2 minutos, com o belo gol de canhota do meia Raphael Veiga, após lindo drible de corpo no zagueiro Willian Arão. O Flamengo empatou aos 23, com Gabriel, livre na pequena área, depois que a bola voltou em chute de  Filipe Luis na trave direita, e fez a virada aos 48, com Arrascaeta limpando a jogada e batendo da meia-lua no canto direito. Quatro minutos antes, Bruno Henrique perdeu o chamado gol feito, na pequena área, frente a frente com o goleiro Weverton.

EMPATE – O Palmeiras voltou melhor do intervalo com as entradas do volante Danilo no lugar de Felipe Melo e do meia Gabriel Menino no lugar de Zé Rafael. O time ganhou mais agilidade e dinâmica, criou boas chances, obrigando Diego Alves a grandes defesas, mas só conseguiu o empate, aos 29, quando o zagueiro Rodrigo Caio puxou Rony pela camisa. Raphael Veiga bateu rasteiro, junto da trave esquerda. Diego Alves saltou bem, mas não conseguiu evitar a cobrança.

CHANCES – O jogo teve 14 minutos de acréscimos, sendo nove no segundo tempo. O Flamengo ainda teve duas chances, com Vitinho aos 40, quando acertou a trave esquerda e Weverton defendeu, beijando a bola ainda caído, e aos 49, Gabriel acertou o mesmo canto e o goleiro do Palmeiras fez a defesa sem que a bola houvesse transposto a linha do gol. O resultado de 2 x 2 levou a decisão aos pênaltis – 18 no total -, pela primeira vez, em quatro edições da Supercopa do Brasil.

SEIS DEFESAS – Raphael Veiga converteu a primeira cobrança, Arrascaeta empatou e o zagueiro paraguaio Gustavo Gomez fez Palmeiras 2 x 1. Filipe Luis foi o primeiro a não converter, acertando o travessão. Gustavo Scarpa ampliou a vantagem do Palmeiras para 3 x 1. Weverton defendeu a cobrança de Mateuzinho e o Palmeiras poderia ter feito 4 x 1, mas Diego Alves defendeu o primeiro dos quatro pênaltis, na cobrança do zagueiro Luan. Vitinho converteu o segundo do Flamengo (2 x 3).

SÃO DIEGO – O Palmeiras teve outra chance de definir, mas Diego Alves voltou a brilhar ao defender a cobrança do volante Danilo. No décimo pênalti, Gabriel converteu (3 x 3), levando a decisão à segunda série. O lateral uruguaio Viña fez Palmeiras 4 x 3; o volante João Gomes empatou, e os goleiros voltaram a brilhar: Diego Alves defendeu a cobrança de Gabriel Menino, e Weverton, a de Pepê. Gabriel Veron fez Palmeiras 5 x 4; Michael empatou, e de novo São Diego brilhou defendendo a cobrança do lateral Mayke.

O DESTINO – As linhas do destino do zagueiro Rodrigo Caio estavam traçadas. Depois de puxar o atacante Rony pela camisa, no pênalti que cometeu sem necessidade, e que Raphael Veiga converteu no empate (2 x 2) do tempo normal, aos 29 minutos, Rodrigo Caio foi o último a cobrar e o fez com categoria, no canto esquerdo, deixando o goleiro sem ação. Com 6 x 5, o Flamengo fez a festa, no mesmo cenário de 2020, tornando-se o primeiro a ganhar a Supercopa do Brasil pela segunda vez consecutiva.

CAMPEÕES – Diego Alves, Isla (Mateuzinho), Willian Arão, Rodrigo Caio e Filipe Luis; Diego (João Gomes), Gerson (Pepê), Everton Ribeiro (Vitinho) e Arrascaeta; Gabriel e Bruno Henrique (Michael) – o Flamengo campeão da Supercopa do Brasil 2021. O meia Diego, ao ser substituído por João Gomes, aos 18 minutos do segundo tempo, passou a braçadeira de capitão ao goleiro Diego Alves. O primeiro título de 2021 é o segundo do técnico Rogerio Ceni no Flamengo, campeão brasileiro de 2020.

PALMEIRAS – Weverton, Marcos Rocha (Mayke), Luan, Gustavo Gomez e Viña; Felipe Melo (Danilo), Zé Rafael (Gabriel Menino) e Raphael Veiga; Breno Lopes, Rony (Gustavo Scarpa) e Wesley (Gabriel Veron). O volante Felipe Melo, ao ser substituído por Danilo, no intervalo, passou a braçadeira de capitão ao zagueiro Gustavo Gomez. O time do Palmeiras permanece em Brasília, e é favorito a ganhar a Recopa Sul-Americana, quarta (14), no jogo de volta com o Defensa y Justicia, no estádio Mané Garrincha, após vencer (2 x 1) na Argentina.

EXPULSO – O técnico português Abel Ferreira, de 42 anos, foi o terceiro do Palmeiras advertido com cartão amarelo, após reclamar dos cartões que o árbitro gaúcho Leandro Vuaden, de 45 anos, aplicou em Felipe Melo por falta em Arrascaeta aos 9 minutos, e em Wesley, por falta em Diego, dois minutos depois. Advertido aos 37 minutos, na primeira reclamação, o técnico foi expulso na reincidência, um minuto depois. Seu assistente, João Martins, também reclamou e foi expulso no segundo tempo.

TORCEDORES – Um ano e dois meses depois de receber a primeira decisão da Supercopa do Brasil, em fevereiro de 2020, o gramado do estádio Mané Garrincha continua em condições ruins. O cenário do jogo foi semelhante, com céu claro, sol e calor. O goleiro Weverton criticou a presença dos convidados da Confederação Brasileira de Futebol: “No auge da pandemia, liberam a entrada de torcedores, alguns muito mal-educados, que nos ofenderam durante boa parte do jogo”.

CINCO MILHÕES – O Flamengo receberá R$5 milhões pela Supercopa, alívio pequeno para um clube que fechou 2020 com déficit de R$107 milhões, com a queda de 20,5% na receita, em comparação com 2019. O Palmeiras, como perdedor, ganhará R$2 milhões, quantia irrisória para outro grande investidor do futebol brasileiro, que teve déficit de R$151 milhões em 2020. Mas, tanto Flamengo quanto Palmeiras têm cotas a receber das transmissões, e o Palmeiras dos títulos da Libertadores e Copa do Brasil.

BOM LEMBRAR – Foi a quarta edição da Supercopa do Brasil, terceira em jogo único. Na primeira, em 1990, o campeão Grêmio venceu o Vasco no Rio (2 x 0) e empatou (0 x 0) em Porto Alegre. Em 1991, no Morumbi, o campeão Corinthians venceu o Flamengo por 1 x 0, gol do meia Neto, hoje comentarista, e na terceira, em 2020, o Flamengo venceu o Athletico Paranaense por 3 x 0, gols de Bruno Henrique, Gabriel e Arrascaeta.

NOVIDADE – Pela primeira vez, a Supercopa do Brasil ofereceu um carro esportivo ao melhor do jogo. O meia uruguaio Giorgian De Arrascaeta, de 26 anos, do Flamengo, foi o escolhido, não só pela atuação, mas pelo segundo gol, de fora da área, na virada (2 x 1), nos acréscimos do primeiro tempo. O atacante Gabriel, autor do primeiro gol, tornou-se o principal artilheiro do clube no século 21, com 74 gols, superando o meia paulistano Renato Abreu, campeão carioca em 2007 e 2011, que marcou 73.

Fotos: Facebook do Flamengo | EVARISTO SA / AFP | Parababa Já | Jornal de Brasília