A última terça (26) de maio marcou a volta oficial aos treinos, mas só dois times – Flamengo, que deu sequência ao que já vinha fazendo, descumprindo autorização da prefeitura, e Bangu – estiveram em campo, enquanto Fluminense e Botafogo, que mantêm posição contrária ao retorno imediato no futebol, continuaram “treinando em domicílio”. O prefeito anunciou a prorrogação do isolamento social, que, segundo ele, será até terça (2), mas poderá se estender por mais alguns dias de junho.

NOVO RECORDE – No primeiro dia de treino oficial do Flamengo, ontem (26), o Rio de Janeiro voltou a bater o recorde de mortes, no estado (256) e na capital (147), nas últimas 24 horas, de acordo com os dados da Secretaria estadual de Saúde. No Brasil, 1.039 mortes nas últimas 24 horas, pelo terceiro dia consecutivo, com o total de 24.512O país tem 391.222 casos confirmados e24.512 mortes, enquanto o mundo registra 5.559.130 casos confirmados e 348.610 mortes.

INSISTÊNCIA – Diante da inexplicável insistência do Flamengo, com o apoio do Vasco e a disconcordância do Botafogo e Fluminense, de recomeçar o campeonato estadual ainda na primeira quinzena de junho, vale dizer: a Organização Pan-Americana da Saúde, revela muita preocupação com a pandemia no Brasil e fez ontem (26) previsão sombria de quase 90 mil mortes até agosto. A Organização Pan-Americana da Saúde representa a Organização Mundial da Saúde nas Américas.

BEM MAIOR – Um estudo minucioso da conceituada Universidade de Washington, mundialmente reconhecida, faz previsão ainda mais pessimista para o Brasil nos próximos três meses. Por isso, sugere que o Brasil adote o confinamento (lockdown, em inglês), sob pena de os 24.512 de ontem (26) se multiplicarem para quase 130 mil, até meados de agosto. 

PROPORÇÃO – O Rio de Janeiro, onde Flamengo e Vasco têm pressa pela volta imediata do futebol, tem mais casos fatais da Covid-19, em proporção a outros países com muito mais população. O dia de ontem (26) terminou com 4.361 mortes no Rio, com 17.200 mil habitantes. A Índia – 1.350 milhões de habitantes – tem 4.349 mortes. Na Rússia, com 145 milhões de habitantes, 3.807 mortes, e na China, com 1.400 milhões de habitantes, 4.638 mortes.

Há tempo de repensar, antes que tudo o que está ruim possa piorar. 

Foto: Jornal do Brasil