A QUARENTA DIAS DA SEGUNDA DECISÃO CONSECUTIVA DA LIBERTADORES ENTRE BRASILEIROS, a Confederação Sul-Americana de Futebol entra na reta final dos preparativos para Palmeiras x Flamengo, sábado, 27 de novembro, no histórico estádio Centenário, em Montevidéu, onde o Uruguai ganhou a primeira Copa do Mundo vencendo a Argentina por 4 x 2, no domingo, 7 de julho de 1930. 

A CONFEDERAÇÃO SUL-AMERICANA já decidiu que os torcedores do Flamengo e do Palmeiras ficarão atrás dos gols, nos setores que a Associação Uruguaia de Futebol batizou de Colombes e Amsterdam. Os nomes são em homenagem ao estádio de Colombes, na França, onde o Uruguai ganhou os Jogos Olímpicos de 1924, com 3 x 0 na Suíça, e ao estádio de Amsterdam, na Holanda, onde ganhou os Jogos Olímpicos de 1928, com 2 x 1 na Argentina.

OS INGRESSOS serão encaminhados aos clubes e deverão custar em torno de 250 dólares, o equivalente a 1.400 reais, ao câmbio atual. O valor é mais que o triplo do cobrado na final da Libertadores de 2019, que River Plate e Flamengo disputaram no Estádio Nacional de Lima, no Peru. Na época, vendidos por 80 dólares, que representavam 350 reais, e ao câmbio atual valeriam 450 reais. 

A CAPACIDADE DO ESTÁDIO era de 65 mil lugares, quando Flamengo e Cobreloa disputaram o jogo de desempate da Libertadores, que cobri como repórter da Rádio Nacional, mas foram registrados 30.200 pagantes, na noite daquela segunda-feira, 23 de novembro de 1981. Com a reforma, a capacidade atual foi reduzida para 60.235 lugares. Depois de conseguir  50%, a Confederação Sul-Americana tenta obter autorização da liberação de 100%.

BOM LEMBRAR – Pela quarta vez, a Copa Libertadores, disputada desde 1960, mas com final única só a partir de 2018, será decidida por brasileiros. Só dois times participaram duas vezes de decisões consecutivas, o São Paulo, campeão em 2005, ao vencer o Atlético Paranaense, e vice-campeão em 2006, ao perder para o Internacional, e o Palmeiras, campeão em 2020, ao vencer o Santos, e em 2021 na final com o Flamengo, ambos tentando o título pela terceira vez.

Foto: O Povo