O CLÁSSICO DA TARDE deste primeiro domingo (6) de março, no estádio Nilton Santos, vale não só a vice-liderança, mas a artilharia da Taça Guanabara, disputada por Nenê, Raniel e Gabriel. Se não marcarem, podem ser superados por Mateus Nascimento, do Botafogo, que também tem 5 gols e joga amanhã (7) com o Volta Redonda, no mesmo estádio.

FLAMENGO e VASCO disputarão o 240º jogo da história do clássico no Campeonato Carioca, com boa vantagem do Flamengo, que venceu 93 e perdeu 79, e 67 empates. Os rubro-negros mais antigos não esquecem do 6 x 2 de 1943, na Gávea, e os vascaínos gostam de lembrar do 7 x 0 de 1931, em São Januário. A goleada mais recente foi a do Vasco, 5 x 1, em 2000.

O FLAMENGO vem de empate sofrido (2 x 2), depois que o Resende chegou a fazer 2 x 0 e a torcida não poupou, principalmente, Diego Alves, que não joga hoje (6), e Gabriel, que evitou a derrota com o gol de pênalti. 2º com 20 pontos – 6 vitórias, 2 empates, 1 derrota -, o Flamengo tem saldo de 12 gols (19 a 7). 

O VASCO perdeu o clássico para o Fluminense (2 x 0), mas conseguiu reabilitação tímida na estreia da Copa do Brasil, ao vencer a Ferroviária por 1 x 0, em Araraquara. Com 19 pontos – 6 vitórias, 1 empate, 2 derrotas -, o Vasco tem saldo de 6 gols (15 a 9), mas, se não ganhar, pode perder o 3º lugar para o Botafogo, que joga amanhã (7) com o Volta Redonda.

SERÁ O 9º JOGO do técnico português Paulo Sousa no comando do Flamengo, e pela primeira vez, ele poderá repetir a formação, apenas sem Diego Alves, que voltou a ficar em baixa: Hugo, Fabrício Bruno, David Luiz e Filipe Luis; Rodinei, Arão, João Gomes e Everton Ribeiro; Gabriel, Arrascaeta e Bruno Henrique. Retrospecto do técnico: 5 vitórias, 2 empates, 1 derrota.

O VASCO não terá o meia Mateus Barbosa, suspenso, e o técnico José Ricardo Mannarino não decidiu se inicia com três zagueiros, formação a que parece menos inclinado. Com isso, o time iniciaria com Tiago Rodrigues, Weverton, Juan Quintero, Anderson e Edimar (400º jogo na carreira); Yuri Lira, Juninho e Zé Gabriel; Nenê, Raniel e Gabriel Pec. 

PORTUGUÊS ESTREIA COM DERROTA   

“HÁ MUITO O QUE CORRIGIR” – resumiu o técnico português Vítor Pereira, de 53 anos, ao estrear no Corinthians com derrota para o São Paulo por 1 x 0, gol do atacante argentino Calleri, de 28 anos, logo aos 52 segundos, ontem (5), no estádio do Morumbi. Pereira disse que só dirigiu cinco treinos, três com a equipe completa, mas não se abateu com a derrota.

NO ENTANTO, a maioria dos observadores não viu nada que pudesse ser atribuído ao novo técnico no rendimento da equipe, que só assustou o São Paulo com o chute do meia Paulinho na trave. Nos últimos nove jogos, desde 2017, o São Paulo impôs a sexta derrota ao Corinthians, que só conseguiu três empates no estádio do Morumbi.

Foto: Torcedores