Escolha uma Página

O FLUMINENSE goleou o Volta Redonda por 7 x 0, na tarde deste sábado (18), e decidirá o Campeonato Carioca pelo quarto ano consecutivo, pela primeira vez na história de seus 120 anos. Nas finais com Flamengo ou Vasco, o Fluminense pode ser bicampeão pela segunda vez, depois de 39 anos, quando também ganhou o primeiro tricampeonato no Maracanã, em 1983-84-85.

NA MAIOR GOLEADA do Campeonato Carioca de 2023, que decidirá nos domingos, 2 e 9 de abril, com Vasco ou Flamengo, o argentino Cano marcou 4 gols, assumiu a artilharia do campeonato com 14, e é agora o 5º maior goleador estrangeiro do clube e o 3º no século XXI.

COM OS 4 GOLS DESTE SÁBADO (18), nos 7 x 0 no Volta Redonda, Cano completou 58 e ultrapassou o meia argentino Dario Conca, que fez 56 gols com a camisa do Fluminense, entre 2008 e 2015. À frente de Cano só estão Romerito, com 59 gols, entre 1984 e 1989, e Doval, com 70 gols, entre 1976 e 1978.

CANO BATEU EM 2022 o recorde de artilheiro do futebol brasileiro, com 44 gols, superando os 43 de Neymar e Gabriel em 2019. Cano abriu 2022 com os três gols dos 3 x 0 do Fluminense no Audax, em 5 de fevereiro, pelo Carioca, e foi o 3º artilheiro do mundo, depois do francês Mbappé e do inglês Haaland.

COM OS 4 GOLS DOS 7 x 0, CANO tem 49 gols em 76 jogos com a camisa do Fluminense, média de 1.55 por jogo. O técnico Fernando Diniz disse que “foi o melhor jogo da equipe no ano, não pelo resultado, mas por saber se impor e reverter a vantagem com três minutos. A equipe jogou com muita segurança”.

O FLUMINENSE já saiu para o intervalo com 5 x 0, com os primeiros gols do ano de Samuel Xavier aos 3 minutos; Alexsander aos 23, e Martinelli aos 39. Cano fez o 2º aos 7 e o 5º aos 47, e no 2º tempo, marcou o 6º, aos 17, de pênalti, e fechou a goleada aos 41, ganhando a bola do jogo de presente.

O GOLEIRO FABIO foi substituído por Pedro Rangel aos 10 minutos do 2º tempo e saiu sangrando no canto esquerdo da boca, após disputa no alto com o zagueiro Alix, expulso após revisão do lance no VAR. Wagner Magalhães aplicou sete cartões amarelos e só errou ao advertir Cano, que não cometeu, sofreu falta.

FLUMINENSE 7 x 0 VOLTA REDONDA registrou R$1.797.318,00. 43.550 pagantes e anunciados 46.874 presentes, em tarde de sol e muito calor no Maracanã. Foi a primeira vitória do Fluminense em três jogos em 2023 com o Volta Redonda, que venceu por 1 x 0 na Taça Guanabara e 2 x 1 no primeiro jogo das semifinais.

O LATERAL MARCELO vibrou muito no estádio a cada gol e disse que “o time fez uma apresentação muito segura, mostrando competência desde que deu a saída”. Faltando duas semanas para o primeiro jogo das finais, domingo, 2 de abril, Marcelo deverá estar em boas condições físicas para enfrentar Flamengo ou Vasco.

FLUMINENSE – Fabio (Pedro Rangel), Samuel Xavier, Nino (c), David Braz (Felipe Melo) e Alexsander (Guga); André, Martinelli (Lima) e Ganso (Gabriel Pirani); Jhon Arias, Cano e Keno. Técnico – Fernando Diniz. O zagueiro Nino, de 25 anos, 1,88m, completou 200 jogos desde 2019 e já marcou 10 gols pelo Fluminense.

MARCÍLIO FLORÊNCIO Mota Filho, o Nino, pernambucano do Recife, foi revelado no futsal do Santa Cruz, de onde saiu para o Criciúma, que o emprestou ao Fluminense em 2019 e o vendeu por R$5 milhões em 2020. Na volta dos Jogos Olímpicos no Japão, com a medalha de ouro, ganhou também a braçadeira de capitão de Fred, que encerrou a carreira.

VOLTA REDONDA – Vinicius, Wellington (Yuri), Alix, Marcão e Ricardo; Bruno Barra, Dudu (Danrley) e Naninho (Marco Gabriel); Luizinho (Berguinho), Lelê e Pedrinho (Henrique). Técnico – Rogerio Corrêa. O time foi envolvido desde o início, sofreu o primeiro gol logo aos três minutos e não teve como evitar a goleada.

SEM TENTAR JUSTIFICAR a goleada e reconhecendo os méritos do Fluminense, o meia Bruno Barra disse que o Volta Redonda foi prejudicado com o jogo às 4 horas, menos de 72 horas após ter jogado com o Atlético Goianiense, 4ª feira (15), em Goiânia, pela Copa do Brasil: “Merecíamos um tratamento mais humano”.

Fotos: Lance! , IG e Divulgação