Escolha uma Página

O FLUMINENSE SÓ SERÁ FINALISTA se vencer no próximo sábado (18), no Maracanã. A vantagem do empate passou a ser do Volta Redonda, ao ganhar com justiça o primeiro jogo das semifinais por 2 x 1, na noite chuvosa deste domingo (12), no Estádio da Cidadania, em Volta Redonda. R$261.160,00. 5.391 pagantes.

O VOLTA REDONDA já saiu para o intervalo com 1 x 0, gol do meia goiano Pedrinho, de fora da área, com chute de pé esquerdo, após o lateral Samuel Xavier cortar o cruzamento rasteiro do lateral Ricardo. O goleiro Fabio, bem colocado, se esticou, mas não tocou na bola, que ainda bateu na trave direita antes de entrar.

O FLUMINENSE voltou para o 2º e tentou o empate desde que deu a saída, mas foi o Volta Redonda que ampliou a vantagem aos 7 minutos, com a velocidade de Lelê, com mais pique que o volante André, tocando rasteiro no canto esquerdo. O lançamento manual do goleiro Vinicius, para Lelê fazer 2 x 0, foi primoroso.

O VOLTA REDONDA teve postura bem definida do início ao fim, sabendo se defender e atacar com precisão. Foi firme na marcação, nas antecipações e atraiu bem o Fluminense, sem o erro de certos times, que recuam e só dão chutões depois de obter a vantagem. O time reflete bem o trabalho do técnico goiano Rogerio Corrêa.

O FLUMINENSE conseguiu o alento de que precisava com o gol do capitão Nino, que venceu a disputa de cabeça com o zagueiro Alix, após o escanteio, e aproveitou a rebatida do outro zagueiro, Sandro, para fazer o gol aos 33. O Fluminense não jogou mal; o Volta Redonda foi superior e mereceu reverter a vantagem.

ENQUANTO O FLUMINENSE terá a semana livre, o jogo de 4ª feira (15) do Volta Redonda com o Atlético Goianiense, em Goiânia, poderá desgastar o time. É provável que o prêmio de R$2.100 mil, se passar à 3ª fase da Copa do Brasil, não leve o técnico Rogério Corrêa a poupar os titulares.

VOLTA REDONDA – Vinicius, Wellington Silva, Alix, Sandro e Ricardo (Marco Gabriel); Bruno Barra, Dudu (Danrley), Luizinho (Marcus Vinicius) e Naninho (Henrique); Pedrinho (Berguinho) e Lelê, que se tornou o principal artilheiro do clube no Carioca, com 13 gols, os 12 de Tulio, artilheiro e vice-campeão de 2005.

FLUMINENSE – Fabio, Samuel Xavier, Nino, David Braz (Lima) e Alexsander; André, Martinelli e Ganso (Gabriel Pirani); Keno (Marrony), Cano, que se salvou apenas pela disposição do início ao fim, em jogo nada inspirado, e Jhon Arias. O técnico Fernando Diniz elogiou Lelê, seu futuro comandado no Campeonato Brasileiro.

“ALÉM DO PRÊMIO de artilheiro, bem caminhado, o Lelê merece outro, o de revelação do campeonato. Vi alguns jovens bons, mas ele é o melhor. Além disso, já acertado com o Fluminense, o Lelê mostrou-se ético e moral, com muita entrega e o gol que acabou sendo o da vitória” – fez questão de ressaltar Fernando Diniz.

BOA ARBITRAGEM de Yuri Elino Cruz, de 30 anos, com condicionamento próprio de um professor de educação fisica. Seguro, firme e aplicando com acerto os cartões amarelos em Martinelli e Lima (Fluminense) e Dudu e Henrique Silva. Carlos Henrique Lima e Karen Soares Augusto foram assistentes precisos e corretos.

Foto: Lance! e R7 Esportes