Escolha uma Página

NA SÉTIMA FINAL entre brasileiros e ingleses, o Fluminense sofreu na noite desta 6ª feira (22) a derrota mais dura (4 x 0), no desempate das decisões do Mundial de clubes. O Palmeiras havia perdido para o Manchester United, em 1999, e o Flamengo para o Liverpool, em 2019, por 1 x 0, e o Palmeiras voltou a perder, em 2021, para o Chelsea (1 x 0). Depois de Flamengo 3 x 0 Liverpool (1981) e São Paulo 1 x 0 Liverpool (2005), o último título foi o do Corinthians, 1 x 0 no Chelsea (2012).

COM A GOLEADA do Manchester City sobre o Fluminense por 4 x 0, os times europeus ganharam o 11º Mundial de clubes consecutivo. O último título brasileiro foi ganho no domingo, 16/12/2012, no estádio de Yokohama, onde em 2002 o Brasil conquistou a quinta, e até hoje, última Copa do Mundo. O Corinthians venceu o londrino Chelsea, do técnico espanhol Rafa Benitez, 1 x 0, gol de cabeça do peruano Paolo Guerrero, aos 24 minutos do 2º tempo.

DIRIGIDO POR TITE, que teve o conceito aumentado, até chegar a ser o terceiro a dirigir a seleção em duas Copas do Mundo consecutivas, depois de Zagallo (70-74) e Telê Santana (82-86), o time brasileiro, do último título mundial de clubes, teve Cássio (melhor do jogo), Alessandro, Chicão, Paulo André e Fabio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo; Jorge Henrique, Emerson Sheik (Wallace) e Paolo Guerrero (Martinez).

DESDE ENTÃO, Atlético Mineiro, Grêmio, Flamengo, Palmeiras, e agora o Fluminense, não conseguiram o título. O Atlético Mineiro ficou em 3º em 2013; o Grêmio perdeu a decisão de 2017 para o Real Madrid (1 x 0); o Flamengo perdeu a decisão de 2019 para o Liverpool (1 x 0); o Palmeiras perdeu a final de 2021 para o Chelsea (2 x 1). Nesta 6ª feira, 22 de dezembro de 2023, o Fluminense foi goleado pelo Manchester City (4 x 0).

  • O PRÊMIO do Manchester City pelo Mundial é de cinco milhões de dólares (R$24.400 mil); o do Fluminense, de 4 milhões de dólares (R$19.500 mil), bem inferior ao que recebeu pela conquista da Libertadores: 27.150 mil dólares (R$134 milhões). Só pela vitória sobre o Boca na decisão, o Fluminense ganhou 18 milhões de dólares (R$88 milhões).
  • O MUNDIAL de clubes de 2024 não terá decisão do 3º lugar. A última foi a desta 6ª feira (22), em que o Al-Ahly, do Egito, campeão africano, venceu o Urawa Red Diamonds, do Japão, campeão da Ásia, por 4 x 2. Bom lembrar: na semifinal, o Al-Ahly foi eliminado pelo Fluminense (2 x 0), e o Urawa pelo Manchester City (3 x 0). No jogo único da final de 2024, o campeão da Libertadores decidirá com o campeão europeu. A partir de 2025, o Mundial terá 32 equipes, com Fluminense, Flamengo e Palmeiras já classificados. O torneio será nos Estados Unidos.
  • MESMO PERDENDO o Mundial de clubes para o Manchester City, o Fluminense subiu 20 posições no ranking da Confederação Sul-Americana de Futebol e terminou 2023 em 12º lugar. com 4502,2 pontos, após ganhar a Libertadores. A decisão com o City foi a única que o Fluminense não ganhou este ano, depois de vencer o Flamengo (4 x 1) na final do Campeonato Carioca e o Boca (2 x 1) na final da Libertadores.
  • FERNANDO DINIZ disse que “o gol sofrido aos 39 segundos desarticulou o plano do Fluminense”. No entanto, o técnico reconheceu a ampla superioridade do adversário: “Além de grandes valores, graças ao poder econômico, o City está há seis temporadas com a filosofia do Guardiola”. Para o treinador, “os jogadores estão de parabéns por tudo o que conseguiram; agora é descansar bem nas férias para tentarmos melhorar ainda mais no próximo ano”.
  • NINO, capitão do time, substituído por Marlon, aos 31 do 2º tempo, também lamentou o gol sofrido logo no início: “Não foi por isso que perdemos. Já sabíamos das dificuldades que encontraríamos, pela qualidade do adversário, cinco vezes campeão inglês e campeão da Europa”. O zagueiro fez questão de salientar: “Tivemos um ano maravilhoso e essa derrota, mesmo sendo de goleada, não tira o brilho do trabalho da nossa equipe, com o apoio da torcida”.
  • FELIPE MELO disse que não provocou confusão: “O Jack Grealish faltou com respeito ao Fluminense, ao incitar os torcedores do City para que gritassem olé. Seja qual for a camisa que estiver vestindo, jamais permitirei que isso aconteça. É uma falta de respeito com a instituição e o Fluminense não merece”. Felipe Melo elogiou Guardiola: “Foi simpático e de fino trato conosco ao final do jogo. Além de competente, um profissional educado”.

Foto: Tullio Puglia – FIFA/FIFA via Getty Images / Giuseppe CACACE / AFP