O Fluminense decepcionou no 0 x 0 da última noite de novembro no Maracanã com o Bragantino, quando poderia ter dado um salto de qualidade, ao invés de cair duas posições e terminar a vigésima terceira rodada em oitavo lugar, afastando-se da vaga para a Libertadores. Não chega a ser surpresa porque, quando mais se espera, o time não corresponde. Pelo contrário, decepciona com atuação fraca, banal, sem inspiração. Não foi só o gol; faltou muito mais no jogo, de baixo nível técnico.

SÓ UM LANCE – Fluminense e Bragantino foram bem castigados com o 0 x 0, atestado claro da falta de criatividade de ambos. Times de Série A devem estar preparados para render mais e fazer jogo de qualidade, não como o que apresentaram, tanto que só houve um lance a merecer registro, o da defesa do goleiro Marcos Felipe no chute de Claudinho, bom meia do Bragantino, da entrada da área, aos 37 do segundo tempo. 

FLUMINENSE – Marcos Felipe, Calegari, Lucas Claro, Mateus Ferraz e Igor Julião; André, Martinelli (Nascimento) e Nenê (Felipe Cardoso); Marcos Paulo (Ganso), Wellington Silva (Luis Henrique) e Lucca. Técnico – Odair Hellman. Sexto com 36 pontos em 23 jogos – 10 vitórias, 6 empates, 7 derrotas, saldo de 6 gols (31 a 25) – o Fluminense volta ao Maracanã para o jogo de sábado (5) com o Athletico Paranaense.

BRAGANTINO – Cleiton, Aderlan, Leo Ortiz, Ligger e Luan Candido (Edimar); Raul, Lucas Evangelista e Claudinho (Vitinho); Artur (Cuello), Ytalo (Hurtado) e Helinho (Bruno). Técnico – Maurício Barbieri. Décimo quinto com 27 pontos em 23 jogos – 6 vitórias, 9 empates, 8 derrotas, saldo de 1 gol (29 a 28) – o Bragantino voltará a ser visitante no próximo jogo, sábado (5), com o Coritiba, no estádio Couto Pereira.

JOÃO CARLOS TRAVASSOS, o melhor treinador de goleiros da história do Fluminense, teve a memória respeitada com um minuto de silêncio. Ele foi o treinador de Paulo Victor, melhor goleiro do clube nos anos 80, quando o Fluminense ganhou o primeiro tricampeonato carioca no Maracanã – 83-84-85 – e foi campeão brasileiro em 84, na primeira final entre equipes da mesma cidade (1 x 0 e 0 x 0 com o Vasco). Travassos ajudou Paulo Victor a ser convocado para a Copa do Mundo de 1986.

  • QUATRO CARTÕES – Fluminense 0 x 0 Bragantino foi bem apitado por Dyorgines Andrade, da Federação do Espírito Santo, que aplicou quatro cartões amarelos em Mateus Ferraz e Martinelli, do Fluminense, e Luan Cândido e Helinho, único suspenso do próximo jogo.

Foto: UOL