O Fluminense foi responsável pela demissão do técnico Eduardo Barroca, ao vencer (1 x 0) o Botafogo no clássico mais antigo do futebol carioca, que há anos não era assistido por pouco mais de doze mil torcedores, como neste domingo (6), no estádio Nilton Santos. Foi a quarta derrota consecutiva, terceira sem fazer gol.

SEIS MESES – Foi o tempo de permanência do técnico, que comandou o time desde abril e ganhou 10 dos 27 jogos, empatando 3 e demitido hoje (6), após a décima quarta derrota, em que deixou o Botafogo em décimo segundo lugar, com 27 pontos – 8 vitórias, 3 empates, 12 derrotas e saldo negativo de 6 gols (19 a 25). 

BRUNO LAZARONI, carioca, 39 anos, ex-meia, campeão carioca em 99 no Flamengo e em 2003 no Vasco, é da comissão técnica do Botafogo desde 2018 e dirigirá o time no jogo com o Goiás, quarta (9), no estádio Nilton Santos. Ele é filho de Sebastião Barroso Lazaroni, técnico campeão carioca no Flamengo e no Vasco, e da seleção brasileira na Copa de 90.

11 JOGOS DEPOIS – O atacante Yony Gonzalez, colombiano de Medellin, 25 anos, 1,81m, voltou a marcar depois de 11 jogos. Ele se antecipou ao zagueiro Gabriel e cabeceou o cruzamento de Gilberto, aos 35 do primeiro tempo, sem chance para o goleiro. Yony é o artilheiro do time na temporada com 16 gols em 48 jogos.

NERVOSISMO – Alguns jogadores do Botafogo se mostravam muito nervosos, um deles o lateral Gilson, com uma sequência de palavrões, após advertido com cartão amarelo por falta dura em Nenê, na linha lateral. O Botafogo já estava perdendo, o que fez aumentar a tensão da maioria, incluídos os torcedores, que vaiaram o time na saída para o intervalo.

FLUMINENSE – Muriel, Gilberto (Igor Julião, 38 do segundo tempo), Nino, Digão e Caio Henrique; Allan, Daniel (Guilherme, 27 do segundo tempo) e Ganso (Wellington Nem, 32 do segundo tempo); João Pedro, Yony Gonzalez e Nenê. Foi o segundo jogo do ex-apoiador Marcão, efetivado como técnico. O Fluminense não perde há três jogos, com  vitórias nos dois últimos. O que já faz por merecer comemoração.

UMA POSIÇÃO – O Fluminense subiu uma posição e terminou a rodada em décimo quinto, com 25 pontos, igual ao Fortaleza, também em vitórias (7), mas em desvantagem no saldo (negativo) por apenas 1 gol (Fortaleza 25 x 33, Fluminense 25 x 34). O próximo jogo é com o Cruzeiro, quarta (9), às 21h30m, no Mineirão.

BOTAFOGO – Gatito, Marcinho, Joel Carli, Gabriel e Gilson; Gustavo (Valencia, 31 do segundo tempo), Cicero, João Paulo e Diego Souza; Luis Fernando (Pimpão, 18 do segundo tempo) e Vinícius (Victor Rangel, 18 do segundo tempo).

SEIS CARTÕES – O árbitro Rodolfo Toski Marques, da Federação Paranaense e da FIFA, aplicou cartões amarelos em quatro do Botafogo: Joel Carli, que voltou após quatro jogos e estará fora do próximo; Victor RangelDiego Souza e Gilson, que completou 100 jogos e não disputará o próximo. Caio Henrique e Allan foram os advertidos do Fluminense.

RIDÍCULO – Botafogo 0 x 1 Fluminense registrou R$255.885,00. 11.004 pagantes, neste domingo (6), no estádio Nilton Santos. Nada mais comprometedor para a história do clássico mais antigo (desde 1906) do futebol carioca, que reflete em campo (com exceção do Flamengo) seu modelo ultrapassado de organização. 

Foto: Jornal Express Carioca