O Fluminense entrou no G4 ao vencer (3 x 1) o Santos, que estreou o atacante Angelo, de 15 anos, segundo mais jovem jogador de sua história, 62 anos depois de lançar Coutinho aos 14 anos. Foi a primeira vitória do Fluminense sobre o Santos, depois de 2 empates e 3 derrotas, desde 2017. Com 29 pontos em 18 jogos – 8 vitórias, 5 derrotas, 5 empates, saldo de sete gols (28 a 21) -, o Fluminense ficou com mais dois pontos que o São Paulo, que caiu para quinto, com menos um jogo, e o Santos, em sexto.

USOU A CABEÇA – Reaparecendo no lugar de Digão, suspenso, o zagueiro Lucas Claro, de 29 anos, 1,82m, subiu bem para fazer o primeiro gol, em cabeçada firme, após o cruzamento do lateral Danilo Barcelos, aos 29 minutos. No gol de empate do Santos, aos 36, Marinho – vice-artilheiro do campeonato – completou de primeira o cruzamento do lateral Madson, e comemorou seu décimo primeiro gol, homenageando Pelé com o soco no ar, marca registrada do Rei, pelos 80 anos. 

MAIS DOIS – Na volta do intervalo, o Santos desfez o esquema com três zagueiros, mas o Fluminense manteve o domínio e chegou à sexta vitória no Maracanã, com o gol de cabeça do zagueiro Nino, aos 10, e o de Marcos Paulo, na pequena área, aos 48, depois de duas rebatidas de João Paulo, que aos 38 evitou gol de Fred, frente a frente com o atacante. Das oito vitórias, sexta no Maracanã, depois de 2 x 1 no Internacional, Vasco e Corinthians, 4 x 0 no Coritiba e 1 x 0 no Bahia.

HOMENAGEM – Dois dias depois de completar 80 anos, Pelé recebeu homenagem não só do único clube brasileiro que defendeu como profissional, mas do Fluminense, que usou neste domingo (25), uniforme branco, igual ao do amistoso de 22 de abril de 1978, no Estádio Municipal de Lagos, onde venceu (3 x 1) a seleção da Nigéria, com Pelé entrando no intervalo, no lugar de Luis Carlos Tatu. O técnico Paulo Emílio e o médico Arnaldo Santiago, que viria a ser presidente do Fluminense, posaram com o time.

CAMISA 80 – O Santos usou a camisa alvinegra, com listras verticais, e em círculo, colocou no peito o número 80, com os dizeres em volta: 80 anos do Rei. Atual artilheiro do time e vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro com 11 gols, Marinho jogou com a camisa 80, emocionando-se ao dizer que “a honra de homenagear o ídolo é o momento marcante da minha carreira”. No final, o atacante disse que estava triste pela derrota, mas feliz porque Pelé, graças a Deus, continua como exemplo vivo”.

RECORDISTAS – Ao substituir Lucas Braga, aos 15 do segundo tempo, o atacante Angelo, de 15 anos, 10 meses e 4 dias, tornou-se o segundo mais jovem a estrear com a camisa do Santos, depois de Coutinho, lançado aos 14 anos, 11 meses e 6 dias, no amistoso de 17 de maio de 58 – Santos 7 x 1 Sírio Libanês –, no estádio Pedro Ludovico, em Goiânia. Pelépassa a ser o terceiro mais jovem, ao estrear aos 15 anos, 10 meses e 15 dias,marcando o primeiro gol, aos 36 do segundo tempo, quando o Santos já vencia (5 x 0) o Corinthians, de Santo André, no amistoso de 7 de setembro de 1956, no estádio Américo Guazzelli, com o placar final de 7 x 1.

NO DIA DO REI – Angelo Gabriel Borges Damaceno (sem o s), nascido na terça-feira, 21 de dezembro de 2004, em Brasília, assinou o pré-contrato profissional na sexta-feira, 23 de outubro de 2020, dia dos 80 anos de Pelé. Foi um pedido especial que fez ao Santos, por sugestão de seus pais, presentes à assinatura, para homenagear o Rei e ter na lembrança o dia que ficará guardado por toda sua vida.

FLUMINENSE – Muriel, Igor Julião, Nino, Lucas Claro e Danilo Barcelos; Hudson, Dodi e Nenê (Marcos Paulo); Michel Araújo, Fred (Yuri) e Caio Paulista (Ganso). Técnico – Odair Hellmann. Quarto com 29 pontos em 18 jogos – 8 vitórias, 5 derrotas, 5 empates, saldo de sete gols (28 a 21) -, o Fluminense será visitante na última rodada do turno, sábado (31), na Arena Castelão, com o Fortaleza.

SANTOS –João Paulo, Madson, Laercio (Artur Gomes), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Jean Mota); Jobson (Alisson e depois Marcos Leonardo) e Diego Pituca; Marinho, Lucas Braga (Angelo) e Soteldo. Técnico – Cuca. Com a terceira derrota como visitante, o Santos é sexto colocado com 27 pontos em 18 jogos – 7 vitórias, 5 derrotas, 6 empates, saldo de dois gols (24 a 22) – e terminará o turno na Vila Belmiro, domingo (1), com o Bahia.

SETE CARTÕES – O árbitro Anderson Luis Daronco, da Federação Gaúcha e da FIFA, teve atuação segura e aplicou sete cartões amarelos: Artur Gomes, Felipe Jonatan e Luan Peres, do Santos, e Hudson, Michel Araújo, Fred e Dodi, único suspenso do próximo jogo, pelo terceiro cartão.

VANTAGEM – Fluminense 3 x 1 Santos foi o centésimo jogo da história dos confrontos e o Fluminense reduziu a uma vitória a vantagem do Santos (40 a 39), e 21 empates. No entanto, ampliou a vantagem nos jogos do Campeonato Brasileiro. Foi a vigésima sexta vitória do Fluminense, enquanto o Santos ganhou 22 jogos e houve 11 empates. Além disso, o Fluminense voltou a vencer o Santos depois de três derrotas e dois empates nos últimos três anos. 

BOM LEMBRAR – A última vitória foi na manhã ensolarada do domingo, 14 de maio de 2017, no Maracanã, na abertura do Campeonato Brasileiro, com dois gols de Henrique Dourado, um de pênalti, e um gol de Sornoza, e os gols do Santos de Victor Ferraz e Vladimir Hernandez. Fluminense – Diego Cavalieri, Lucas, Renato Chaves, Henrique e Leo; Orejuela, Wendel e Sornoza (Scarpa); Wellington Silva (Marcos Junior), Henrique Dourado (Pierre) e Richarlison. Técnico – Abel Braga.

PALMEIRAS 3 x 0 – Depois de quatro derrotas consecutivas, o Palmeiras voltou a vencer neste último domingo (25) de outubro, com os 3 x 0 no Atlético Goianiense, no Estádio Olímpico de Goiânia. Luiz Adriano, depois de sete jogos sem marcar, fez dois gols, e o primeiro gol foi de Wesley. O Palmeiras é sétimo com 25 pontos em 17 jogos – 6 vitórias, 4 derrotas, 7 empates, saldo de dois gols (22 a 20) -, tem o jogo adiado com o Vasco, e encerrará o turno com o Atlético Mineiro, segunda (2), em São Paulo. Ainda sem técnico, o Palmeiras continua dirigido pelo interino Andrey Lopes, assistente fixo da comissão técnica.

DÉCIMO PRIMEIRO com 22 pontos em 18 jogos – 5 vitórias, 6 derrotas, 7 empates, saldo negativo de sete gols (17 a 24) -, o Atlético Goianiense será visitante na última rodada do turno, sábado (31), no jogo com o Coritiba, no estádio Couto Pereira. 

Foto: André Durão, Lucas Merçon/FFC