Escolha uma Página

ONZE DIAS DEPOIS DE PODER PERDER POR UM GOL, para entrar na fase de grupos da Libertadores; de ser derrotado por 2 x 0 e eliminado nos pênaltis pelo Olímpia, o Fluminense escapou de outra decepção neste domingo (27). Podia perder por um gol para o Botafogo; perdia por 2 x 0 e livrou-se da eliminação aos 51 do 2º tempo.

O BOTAFOGO FOI BEM SUPERIOR na maior parte do jogo, tendo em Erison, autor dos gols, o destaque de sua equipe, muito mais determinada e que merecia a vaga. O Fluminense, com atuação decepcionante, foi salvo pelo gol de peito de Cano, que boa parte dos tricolores não viu porque já havia saído do estádio.

AS CHANCES DE GOL FORAM POUCAS no 1º tempo. Em impedimento não marcado, Erison perdeu a primeira aos 16, com a defesa de Marcos Felipe a escanteio. Aos 30, Martinelli cabeceou na rede, pelo lado de fora, o cruzamento de Pineida, e aos 41, Arias isolou ao chutar de pé direito de fora da área.

COM O GOL MAIS BONITO DO JOGO, que Erison marcou aos 47 minutos, o Botafogo saiu em vantagem para o intervalo. Ao receber lançamento rasteiro do meia Chay, Erison arrancou e, ao entrar na área, driblou David Braz e Lucas Claro, que ficaram caídos, enquanto finalizava sem chance de defesa para o goleiro Marcos Felipe.

O FLUMINENSE DESFEZ O ESQUEMA com três zagueiros, ao voltar do intervalo sem Manoel, substituído por Nonato. Cristiano entrou no lugar de Pineida, que não foi mal no 1º tempo, e na substituição mais acertada, Ganso no lugar de Jhon Arias. O rendimento da equipe melhorou um pouco, mas sem efeito nas finalizações.

O BOTAFOGO VOLTOU A TER as melhores chances de gol. Chay perdeu aos 12, chutando na perna de Lucas Claro; Erison teve gol bem anulado por impedimento aos 29 e chegou a ser advertido com cartão amarelo, por tirar a camisa para comemorar, e aos 40 cabeceou no chão e a bola passou sobre o travessão.

FICOU A IMPRESSÃO de ter sido a última chance, mas os acréscimos permitiram que a estrela de Erison voltasse a brilhar aos 46. Após cruzamento sob medida de Chay, ele cabeceou a um passo da pequena área, à esquerda do goleiro, que ainda saltou. O Fluminense quase empatou aos 48, com a cabeçada de Ganso rente à trave.

A CLASSIFICAÇÃO DO BOTAFOGO parecia certa, mas o árbitro acrescentou dois minutos, e foi precisamente no minuto final, aos 55, que o Fluminense conseguiu a vaga. Na cobrança de falta de Nonato, cruzando a área, a bola passou por David Braz e Cano emendou de canhota. Na volta do travessão, Cano fez o gol de peito.

O BOTAFOGO NÃO SE DEU por vencido. Mais dois minutos foram acrescentados e o lateral Hugo sofreu falta de Fred, expulso ao ser advertido com o segundo amarelo. Foi então que o árbitro Paulo Renato Coelho errou, ao usar de dois pesos e duas medidas, encerrando o jogo antes que o Botafogo cobrasse a falta. 

REVOLTADOS, os jogadores partiram na direção do árbitro, logo cercado pelos policiais do Gepe – Grupamento Especial de Policiamento em Estádios -, que pediram reforço dos policiais militares. Impressionante a lentidão dos PMs, ao saírem caminhando sem nenhuma pressa ao centro do gramado. 

JOHN TEXTOR, de 56 anos, dono do futebol do Botafogo, resumiu: “O Campeonato Carioca de 2023 será um grande torneio para o time B do Botafogo”. Textor assistiu ao lado do português Luis Castro, de 60 anos, novo técnico do Botafogo, que chegou pela manhã, e esta semana inicia a preparação da equipe para o Brasileiro.

FLUMINENSE – Marcos Felipe, Lucas Claro, Manoel (Nonato, intervalo); Calegari, André, Martinelli (Yago Felipe, 17 do 2º tempo) e Pineida (Cristiano, intervalo); Jhon Arias (Ganso, intervalo), Cano e Willian (Fred, 45 do 2º tempo). O técnico Abel Braga admitiu que “nem todos corresponderam no jogo. O rendimento foi bem abaixo”.

BOTAFOGO – Douglas Borges, Daniel Borges, Kanu, Philipe Sampaio e Jonathan Silva (Hugo, 36 do 2º tempo); Barreto (Romildo, 26 do 1º tempo), Kayque (Juninho, 36 do 2º tempo), Chay e Luis Fernando (Gabriel Conceição, 36 do 2º tempo); Rikelmi (Vinicius Lopes, 21 do 2º tempo) e Erison. Último jogo do técnico Lúcio Flávio.

O ÁRBITRO Paulo Renato Coelho, de 32 anos, advertiu 9 com cartão amarelo: Luis Fernando, Rikelmi, Kayque, Erison e Vinicius Lopes, do Botafogo. Yago, Nonato, André e Fred, expulso após o 2º amarelo por falta em Hugo. O árbitro errou ao encerrar o jogo antes da falta da falta de Fred em Hugo. R$934.257,50. 26.046 pagantes. 

O CAMPEONATO CARIOCA DE 2022 será decidido em dois jogos: Flamengo x Fluminense, 4ª feira (30), às 21h30min, com arbitragem de Wagner Magalhães, e sábado, 2 de abril, às 16 horas, com arbitragem de Bruno Arleu Araújo. Se houver vencedor no primeiro jogo, terá vantagem do empate no segundo. Em caso de dois resultados iguais, a decisão será em pênaltis.

Fotos: Lance! / Foto: Mailson Santana/Fluminense / Foto: Extra / Foto: André Durão