O FLUMINENSE ESTREARÁ NA PRÉ-LIBERTADORES, na altitude de 2.600 metros do estádio El Campin, de Bogotá, capital da Colômbia, com o Millonarios FC, 2º com mais títulos (15) de campeão colombiano; duas vezes campeão da Copa da Colômbia e uma vez campeão da Superliga colombiana. O primeiro jogo do mata-mata será dia 22 de fevereiro, e o segundo, dia 1 de março, com o Fluminense tendo que escolher estádio porque o Maracanã estará em obras.

SEM GARANTIA – Dirigentes do Vasco não garantiram ao Fluminense que São Januário será liberado para o jogo do dia 1 de março com o Millonarios. Disseram que autorizaram a indicação do estádio à Confederação Sul-Americana, só para não perder o prazo, mas que o gramado também está sendo replantado e que a prioridade são os jogos do Vasco. Por isso, é possível que o Fluminense tenha que encontrar outra alternativa para o jogo de volta com o Millonarios.

O ADVERSÁRIO DO FLUMINENSE, 8ª vez na Libertadores, 1ª na fase pré, foi definido na noite de ontem (22), com a vitória do Deportivo Cali por 2 x 1, de virada, sobre o Deportes Tolima, no estádio Manuel Murillo Torres, em Ibagué, a capital musical da Colômbia, a 210 km da capital Bogotá. Campeão colombiano pela 10ª vez, o Deportivo Cali garantiu vaga na fase de grupos, e o Millonarios será o adversário do Fluminense por ter sido terceiro no campeonato.

MILLONARIOS F.C., adversário do Fluminense, foi o primeiro colombiano a disputar a Copa Libertadores e a chegar quatro vezes às semifinais, em 60, 73, 74 e 89. Primeiro uniforme: meia e camisa azul, calção branco; segundo, meia e camisa rosa, calção preto. O goleiro usa camisa preta ou amarela ou roxa. Sem brasileiro, o técnico Alberto Gamero, ex-zagueiro de 57 anos, colombiano de Santa Marta, dirige a equipe desde 2020. Ganhou a Copa Colômbia 2014 no Tolima.

O ADVERSÁRIO DO FLUMINENSE, além de 15 vezes campeão colombiano, ganhou a Copa Simon Bolívar em 72 e a Pequena Copa do Mundo em 73, vencendo Espanyol (Barcelona), Rapíd (Áustria) e River (Argentina). Os jogadores notáveis de sua história foram os argentinos Amadeo Carrizo, Nestor Rossi, Adolfo Pedernera, Alfredo Di Stefano, na época da Liga Pirata da Colômbia, e o atacante colombiano Radamel Falcão, atualmente no espanhol Rayo Vallecano.

AINDA NA FASE PRÉ, Barcelona, Bolívar, Olímpia, Deportivo Lara, Cesar Vallejo e Montevideo City disputarão três vagas para a segunda fase com Fluminense, se eliminar o Millonarios, The Strongest, Everton, Estudiantes, Audax, Universidad Católica, Plaza Colonial, Nacional de Medellin, Monagas, Guarani e Universidad Cesar Vallejo. Os classificados estarão na fase de grupos, que começará em abril, com sorteio dos jogos em 23 de março.

DOS SETE BRASILEIROS, Palmeiras, Atlético Mineiro, Flamengo, Peñarol, Nacional, Boca, River e Cerro Porteño estarão no pote 1 do sorteio da fase de grupos; Corinthians e Athletico Paranaense, no 2; Bragantino, no 3, e Fortaleza, no 4. Cada um dos oito grupos terá quatro equipes. O ranking mais recente, divulgado pela Confederação Sul-Americana de Futebol, mostra os cinco primeiros: River, Palmeiras, Boca, Flamengo e Grêmio.

10º TÍTULO DO CALI – Na virada por 2 x 1 sobre o Tolima, na noite de ontem (22), o Deportivo Cali ganhou o 10º título de campeão colombiano, 3º como visitante. Julian Quiñones fez o gol do Tolima, e no 2º tempo, John Vazquez, e Harold Preciado, de pênalti, os do Deportivo Cali. Goleiro campeão em 2001, o venezuelano Rafael Dudamel voltou depois de 20 anos para ser campeão como técnico.

BOM LEMBRAR – Em 2020, Dudamel foi técnico do maior vexame da história do Atlético Mineiro, eliminado da Copa do Brasil, nos pênaltis pelo Afogados, de Pernambuco, por 7 x 6, depois de 2 z 2. Ele assumiu em 4 de janeiro e foi demitido em 26 de fevereiro, após 10 jogos. Na época, fui muito criticado pelos seguidores, ao escrever que o Atlético não poderia esperar nada de um técnico da Venezuela, único país sul-americano que nunca se classificou para a Copa do Mundo.

Foto: Oficial do Fluminense