COM ATUAÇÃO SUPERIOR, mesmo sem a maioria dos titulares, o Fluminense manteve a liderança do Campeonato Carioca ao vencer o Vasco por 2 x 0, na noite deste último sábado (26) de fevereiro, no estádio Nilton Santos, com os gols de Cano aos 6 e Nonato aos 38 do primeiro tempo. Foi a terceira vitória em clássicos, depois de 1 x 0 no Flamengo e 2 x 1 de virada no Botafogo.

O FLUMINENSE chegou à 9ª vitória consecutiva, 8ª no Campeonato Carioca, em que só perdeu para o Bangu por 1 x 0 na estreia. Com exceção da virada sobre o Botafogo por 2 x 1, todas as outras sete vitórias foram sem sofrer gol: 1 x 0 no Madureira, Audax, Flamengo, Portuguesa e Nova Iguaçu; 3 x 0 no Volta Redonda e 2 x 0 no Vasco, que sofreu a derrota em clássico, após 1 x 0 para o Botafogo em São Luis.

NAS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ, o Fluminense igualou 1951, ano de seu 1º título no Maracanã e 17º de sua história de 31 vezes campeão carioca desde 1906, e com as coincidências do futebol. Em 1959, como agora em 2022, foi após a derrota da 7ª rodada do turno para o Bangu por 1 x 0, gol do meia Válter, no domingo, 30 de agosto, no Maracanã, que o Fluminense iniciou a série de oito vitórias consecutivas.

O FLUMINENSE CONCLUIU o turno com 4 x 0 no Madureira; 2 x 1 no Botafogo; 1 x 0 no Olaria e 2 x 0 no Vasco, e abriu o returno, com 3 x 1 no Vasco; 2 x 0 no São Cristóvão; 3 x 0 na Portuguesa, e completou a 8ª vitória consecutiva, em 31 de outubro, em São Januário, com 4 x 0 no Olaria. A série foi interrompida pelo 1 x 1 com o América. O time campeão de 59 ganhou 17 jogos, empatou e só perdeu para o Bangu.

A BELA DEFESA DE MARCOS FELIPE, em primorosa cobrança de falta de Nenê, no ângulo, aos 48 do 1º tempo, foi a única ameaça do Vasco. O Fluminense teve amplo domínio do jogo e só não goleou porque Tiago Rodrigues fez boas defesas. Excelente a troca de passes de Nonato, Pineida, Arias e Ganso no gol de Cano, e precisa cobrança de escanteio de Ganso, de curva, para Nonato marcar de bico o segundo gol.

OS LÍDERES DA TAÇA GUANABARA: Marcos Felipe, Samuel Xavier, Manoel, Lucas Claro e Pineida; Martinelli (Yago, 30 do 2º tempo), Nonato, Wellington (Luis Henrique, 20 do 2º tempo) e Ganso (André, 20 do 2º tempo); Jhon Arias (Mateus Martins, 30 do 2º tempo) e Cano (Willian, 26 do 2º tempo). O técnico Abel Braga voltou a mostrar que se recicla a cada jogo, preciso nas substituições.

O VASCO NÃO JOGOU BEM e perdeu o 2º clássico sem fazer gol: Tiago Rodrigues, Weverton, Ulisses, Anderson e Edimar; Mateus Barbosa (Zé Gabriel, 15 do 2º tempo), Juninho (Luis Henrique, 29 do 2º tempo), Bruno Nazario (Jhon Sanchez, 15 do 2º tempo) e Nenê (Andrey, 36 do 2º tempo); Gabriel Pec (Getúlio, 29 do 2º tempo) e Raniel, dos mais apagados. Técnico – José Ricardo Mannarino.

TRÊS CARTÕES – Boa atuação do carioca Bruno Arleu de Araújo, de 39 anos, árbitro FIFA desde 2019. Ele só fez três advertências com cartão amarelo, todas a jogadores do Vasco: Bruno Nazario, aos 41 do 1º tempo, por jogar a bola com a mão sobre Samuel Xavier; Mateus Barbosa, no 1º minuto do 2º tempo, por falta dura em Samuel Xavier, e Andrey, aos 38, por falta em Mateus Martins. O VAR confirmou a anulação do gol de impedimento de Jhon Arias, aos 16 do 1º tempo, bem marcado pelo assistente Tiago Farinha.

ENQUANTO O TÉCNICO DO VASCO reconheceu que a atuação individual e coletiva não foi boa, e que a equipe precisa melhorar muito, Abel Braga foi só elogios a alguns jogadores, sem citar nomes, admitindo que poderão ter chance 3ª feira (1): “É jogo decisivo com o Millonarios e vou analisar com mais calma”. O Fluminense só precisa empatar para decidir a vaga na fase de grupos com Olímpia ou Nacional.

COM MAIS DE 12 MIL INGRESSOS vendidos, Fluminense x Millonarios, 3ª feira (1), em São Januário, garantiu mais público que o Fluminense 2 x 0 Vasco deste sábado (26), no estádio Nilton Santos: R$345.560,00. Pagantes: 10.661. Outro fracasso do modelo de gestão do Carioca, outrora o campeonato mais charmoso do Brasil, criticado desde 2018 pelo especialista em marketing João Henrique Areias.

Foto: Lance!