Depois de três vitórias e um empate desde que Marcão assumiu, o Fluminense perdeu a primeira (2 x 1, de virada) para o Atlético Paranaense, na noite de ontem (17), no Maracanã, e terminou a rodada em décimo quarto com 29 pontos, após perder a metade (13) dos 26 jogos. O saldo devedor de gols passou a ser de oito, com 28 a favor e 36 contra.

A SEGUNDA – Foi a segunda vitória de virada do Atlético no returno, depois de 4 x 1 no Fortaleza, em Curitiba. No Rio, o Atlético havia sofrido duas viradas no turno: 3 x 2 para o Flamengo e 2 x 1 para o Botafogo. O Fluminense fez 1 x 0 logo aos 4 minutos, com o primeiro gol do zagueiro Frazan, aproveitando a rebatida fraca do lateral-direito Madson.

A VIRADA – O Atlético empatou nos acréscimos do primeiro tempo, com o gol de Madson, 47, após dominar no peito o lançamento de Wellington. O gol da vitória, aos 26 do segundo tempo, Madson marcou de cabeça, depois de lançamento preciso do atacante Rony, que teve gol (bem) anulado, por impedimento, aos 15 do primeiro tempo.

VAIADOS – Os torcedores perderam a paciência com as atuações do meia Ganso e do atacante João Pedro, que chegou ao nono jogo sem gol. O árbitro também agiu certo ao anular o gol de João Pedro, por impedimento, aos 27 do primeiro tempo, depois que o goleiro Santos rebateu chute do lateral Caio Henrique. Ganso e João Pedro, muito vaiados.

IRRITANTE – Ganso conseguiu irritar, mais que em outros jogos. Lento, sem criatividade, apagado. Nem mesmo nos minutos em que o time esteve em vantagem ele conseguiu apresentar bom futebol. O desempenho do time deixou a torcida preocupada para o Fla-Flu do próximo domingo (20), em que nova derrota complicará ainda mais a situação.

PRIMEIRA VEZ – O baiano Madson, soteropolitano de 27 anos, 1,72m, emprestado pelo Grêmio, fez dois gols em um jogo pela primeira vez, desde que saiu do Bahia para o Vasco – 1 gol em 132 jogos, de 2015 a 2017 – e 1 gol pelo Grêmio em 22 jogos em 2018. No Atlético, ele chegou a quatro gols em 23 jogos, desde o início de 2019.

100 JOGOS – O técnico Tiago Nunes, de 39 anos, gaúcho de Santa Maria, ganhou placa e camisa com o número 100. Ele está no Atlético desde 2017 e começou no sub-23, sendo depois campeão paranaense e da Sul-Americana em 2018 e da Copa do Brasil em 2019. O Furacão está garantido na Libertadores 2020, cuja final foi confirmada para o Maracanã.

Em 100 jogos, Tiago Nunes ganhou 52, empatou 22 e perdeu 26, com o Atlético marcando 152 gols e sofrendo 79, após a virada sobre o Fluminense. O time: Santos, Madson, Pedro Henrique, Leo Pereira e Marcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Leo Cittadini (Bruno Nazario, 23 do segundo tempo); Thonny Anderson, Rony (Lucho Gonzalez, 44 do segundo tempo) e Marcelo Cirino (Pedrinho, 35 do segundo tempo).

FLUMINENSE – Muriel, Gilberto, Nino, Frazan e Caio Henrique; Allan, Daniel (Wellington Nem, 15 do segundo tempo), Ganso e Nenê (Orinho, 15 do segundo tempo); Yony Gonzalez e João Pedro (Lucão, 38 do segundo tempo).

SÓ UM CARTÃO – A única advertência do árbitro Rodrigo d’Alonso Ferreira, da Federação Catarinense, foi com o cartão amarelo para o lateral Marcio Azevedo, do Atlético Paranaense, aos 33 do segundo tempo, por falta normal em Wellington Nem. R$332.440,00. 15.040 pagantes, em noite que terminou com vaias e protestos no Maracanã.

260 JOGOS, 585 GOLS

Não houve 0 x 0 na vigésima sexta rodada, concluída com 25 gols, após os três jogos da  noite de ontem (17), com 585 gols em 260 jogos, média de 2.25 gols por jogo. Além do líder Flamengo e do Atlético Paranaense, que ganharam de virada, o Bahia e o Internacional foram os outros visitantes que venceram na rodada.

ESTREIA SEM GOL

O técnico Eduardo Barroca, ex-Botafogo, estreou na noite de ontem (17) no Atlético Goianiense, que ficou no 0 x 0 com o Botafogo, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Foi o quarto empate consecutivo do novo time de Barroca, sem vencer nos últimos cinco jogos. O Atlético é terceiro com 49 pontos, faltando oito rodadas.

Foto: NetFlu