Com a sétima derrota, terceira como mandante, o Fluminense termina mais uma rodada no rebaixamento, após perder (2 x 1) para o São Paulo, na noite deste último sábado (27) de julho, no Maracanã. Os gols do tricolor paulista foram do lateral-esquerdo Reinaldo, que marcou o da vitória aos 51 minutos do segundo tempo, convertendo o pênalti cometido com a mão pelo apoiador Allan, que desviou cabeçada de Everton, ex-Flamengo. O toque foi confirmado pelo árbitro de video.

EQUILÍBRIO – O empate do primeiro tempo refletiu bem o equilíbrio dos times, que pouco criaram. O São Paulo fez 1 x 0 aos 20 minutos, aproveitando a falha de marcação da defesa do Fluminense. O meia Hernanes, capitão do São Paulo, teve liberdade para trabalhar a jogada e fazer a bola chegar ao lateral Reinaldo, que chutou forte e contou com a falha do goleiro Muriel, mal colocado. O Fluminense empatou aos 36 com o gol do colombiano Yony Gonzalez, depois que a bola voltou da trave.

NOS ACRÉSCIMOS – O Fluminense chegou a ter a chance do desempate na volta do intervalo, com a cabeçada de Yony Gonzalez no travessão. O jogo continuou em ritmo de equilíbrio, com poucas chances, e só foi definido nos acréscimos. O desvio de Allan com a mão, após a cabeçada do meia Everton, foi aos 49, mas o árbitro teve que checar o lance no VAR e a cobrança só foi feita aos 51. O lateral Reinaldo teve calma para deslocar o goleiro Muriel.

FLUMINENSE – Muriel, Gilberto, Nino (Pablo Diego, 52 do segundo tempo), Yuri e Caio Henrique; Allan, Daniel (Guilherme, 26 do segundo tempo) e Ganso (Leo Arthur, 53 do segundo tempo); Marcos Paulo, Pedro e Yony Gonzalez. Técnico – Fernando Diniz. Com 9 pontos em 12 rodadas – 2 vitórias, 3 empates, 7 derrotas, 16 gols pró e 21 contra -, o Fluminense é o primeiro dos quatro últimos e pode terminar a rodada em antepenúltimo, se a Chapecoense, com 8 pontos, vencer o Bahia. Foi a segunda derrota consecutiva por 2 x 1 que o Fluminense sofreu, ao levar a virada do Vasco no sábado anterior.

SEM QUERER pagar a multa de R$300 mil para escalar o meia Nenê e o atacante Brener, conforme exigência do São Paulo, que os emprestou,  o Fluminense só poderá tê-los no próximo jogo, de novo no Maracanã, com o Internacional. O Fluminense volta quarta (31) ao Maracanã para o jogo com o Peñarol, em que pode perder até por um gol para se classificar às quartas de final da Copa Sul-Americana, após vencer (2 x 1) o jogo de ida em Montevidéu.

SÃO PAULO – Tiago Volpi, Igor Vinícius, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Luan (Igor Gomes, 35 do segundo tempo), Tchê Tchê e Hernanes (Everton, 15 do segundo tempo); Antony, Raniel e Alexandre Pato (Toró, 14 do segundo tempo). Técnico – Cuca. Foi a quinta vitória, terceira como visitante, e o São Paulo, com 21 pontos, ultrapassou o Atlético Mineiro (20) e ficou igual ao Flamengo, adversários que ainda jogam. O São Paulo é o que mais empatou (6) e o que só perdeu 1 jogos, igual ao Palmeiras e ao Santos. O próximo jogo, outra vez fora de casa, será com o Atlético Paranaense.

CUCA, técnico do São Paulo, manteve a ampla vantagem nos confrontos com o Fluminense. Foi a vigésima vez que dirigiu uma equipe contra o tricolor carioca e obteve a décima terceira vitória, empatando cinco jogos e perdendo apenas dois. Pela primeira vez, em dezesseis jogos, ele conseguiu repetir a escalação do São Paulo, que havia iniciado o jogo anterior, 4 x 0 na Chapecoense, no Morumbi.

SÓ TRÊS CARTÕES – O árbitro Anderson Luis Daronco, da Federação Gaúcha e da FIFA, acertou na marcação do pênalti com o toque de mão do apoiador Allan, do Fluminense, e foi criterioso na aplicação dos cartões amarelos, todos no segundo tempo e  para jogadores do São Paulo: Hernanes aos 8 e Arboleda aos 31, ambos por falta em Yony Gonzalez, e Everton, aos 45, por falta em Ganso, que saiu reclamando, sem razão, da marcação do pênalti nos acréscimos. R$644.375,00. 20.011 pagantes.

Foto: Jorge R Jorge/BP Filmes