O Fluminense tornou-se recordista brasileiro de vitórias na Copa Sul-Americana, com 49, superando o São Paulo, com 48, ao ganhar (2 x 1) do Peñarol, maior campeão uruguaio com 52 títulos, cinco vezes campeão da Libertadores e três vezes campeão mundial de clubes, na noite de ontem (23), no Estádio Campeón del Siglo (Campeão do Século), em Montevidéu. Houve dois destaques na vitória: o estreante Muriel, com grandes defesas, e o colombiano Yony Gonzalez, autor dos dois gols.

VANTAGEM – O Fluminense já saiu para o intervalo com 1 x 0. Yony Gonzalez fez o gol aos 17, após boa jogada de Marcos Paulo. O time realizou atuação segura no primeiro tempo, que poderia ter terminado com vantagem mais ampla, mas o goleiro Kevin Dawson fez boas defesas. No segundo tempo, Yony Gonzalez fez 2 x 0 aos 26, com assistência de Daniel, que se sobressaiu no meio-campo. O gol do Peñarol, já se chance de reação, foi de Gaston Rodriguez aos 44.

O Fluminense só vai precisar do empate no jogo de volta, terça (30), no Maracanã, para avançar às quartas de final da Copa Sul-Americana. Em torno de quatro mil torcedores muito empolgados acompanharam o jogo no telão que o clube montou na sede da Rua Alvaro Chaves, nas Laranjeiras. E prometeram lotar o aeroporto para receber o time nesta quarta (24).

ESTREANTE – Muriel Gustavo Becker, 32 anos, 1,90m, gaúcho de Novo Hamburgo, irmão mais velho de Alisson (26), goleiro vice-campeão inglês e campeão da Liga dos Campeões da Europa pelo Liverpool, fez excelente estreia pelo Fluminense. Formado na base do Internacional, tal qual o irmão,Muriel foi sete vezes campeão gaúcho em 200 jogos, e após dez anos saiu para o Belenenses, de Portugal, onde disputou 52 jogos. Assinou com o Fluminense até dezembro de 2022.

FLUMINENSE –Muriel, Gilberto (Igor Julião, 21 do segundo tempo), Nino, Digão e Caio Henrique; Allan, Daniel (Airton, 46 do segundo tempo) e Ganso (Bruno Silva, 35 do segundo tempo); Marcos Paulo, Pedro e Yony Gonzalez25 anos, 1,82m, colombiano de Medellin, em sua primeira temporada no Fluminense e já com 14 gols em 35 jogos. O Fluminense não jogava com o Peñarol desde julho de 1965, no Maracanã, onde o time uruguaio venceu (3 x 1).

PEÑAROL – Kewin Dawson, Giovani Gonzalez, Formiliano, Enzo Martinez e Rodrigo Rojo; Walter Gargano, Guzmán Pereira (Trindade, 34 do primeiro tempo), Canobbio (Estoyanoff, 23 do segundo tempo) e Brian Rodriguez; Lucas Viatri (Cristian Rodriguez, 31 do segundo tempo) e Gaston Rodriguez. Além do recorde uruguaio de 52 títulos, o Peñarol foi a base da seleção campeã do mundo em 50 no Maracanã, com cinco jogadores, e campeão das duas primeiras Libertadores, em 60 e 61.

QUATRO CARTÕES – O árbitro paraguaio Eduardo Cardozo advertiu no primeiro tempo Nino, aos 14, por falta em Viatri, e Gargano, aos 43, por uma cotovelada em Daniel. Foi seu erro principal porque deveria ter expulsado o atacante uruguaio. No segundo tempo, os dois cartões foram para jogadores do Fluminense: Ígor Julião, aos 16, por colocar a mão na bola, e Allan, aos 44, por falta em Gargano.

Foto: NetFlu