Escolha uma Página

TAL COMO ESPERADO, Fluminense e Manchester City disputarão o título inédito do último Mundial de sete clubes, no jogo único de 6ª feira (22), diante de 62.241 torcedores, lotação máxima do estádio Rei Abdullah, em Jeddah, segunda maior cidade da Arábia Saudita, depois da capital Riad, já escolhida sede da 24ª Copa do Mundo, em 2034. Os campeões sul-americanos e europeus irão à prorrogação de 30 minutos, e decidirão em pênaltis, em caso de empate.

FLUMINENSE E CITY estão entre os raros finalistas que não sofreram gol nas semifinais. Dentro do previsto, o Fluminense teve mais dificuldade para eliminar o egípcio Al-Ahly, campeão africano, por 2 x 0, do que o Manchester City para vencer o japonês Urawa, campeão asiático, por 3 x 0, em jogo em ritmo de treino, já definido no 1º tempo, com o gol contra do zagueiro norueguês Marius Hoibraaten, ao desviar o cruzamento rasteiro do carioca Matheus Nunes, aos 46 minutos.

NA VOLTA DO INTERVALO, o City liquidou o jogo em sete minutos, com os gols do croata Mateo Kovacic, aos 7, após lançamento longo do lateral inglês Kyle Walker, e do meia canhoto português Bernardo, aos 14, depois do rebote do goleiro Shusaku Nishikawa, de 37 anos, que não conseguiu segurar o chute forte do carioca Matheus Nunes. Daí em diante, o City gastou o tempo, tocando a bola, e o técnico Guardiola poupou e deu ritmo a cinco que estavam no banco.

O ADVERSÁRIO do Fluminense na decisão: Ederson, Walker, Stones (Sergio Gomez), Akanji (Gvardiol) e Nathan Aké; Rodri (Phillips), Mateo Kovacic e Matheus Nunes; Bernardo (Oscar Bobb), Phil Foden (Julian Alvarez) e Jack Grealish. O City teve 94% de precisão nos 775 passes, e fez 9 finalizações; o Urawa, nenhuma. Das 16 faltas, 3 do City, que teve os dois únicos advertidos com cartão amarelo pelo árbitro saudita Al Hoish, de 37 anos, Manuel Akanji e Matheus Nunes.

SE GANHAR A FINAL de 6ª feira (22), Josep Guardiola, ex-volante de 52 anos, será o recordista de títulos mundiais de clubes, com quatro, depois de 2009 e 2011 como jogador do Barcelona, e de 2020, técnico do Bayern Munique. Fluente em catalão, espanhol, inglês, italiano, francês e alemão, Guardiola assumiu em julho de 2016 e iniciou a reformulação do elenco, em 2017, com o goleiro Ederson; o lateral Walker e o meia Bernardo.

O ARTILHEIRO inglês Haaland, de 23 anos, da seleção da Noruega; o meia De Bruyne, de 32, e o atacante Jeremy Doku, de 21, ambos da seleção da Bélgica, estão com a equipe na Arábia Saudita, mas não foram inscritos para o Mundial. Haaland se recupera de contusão no pé, e De Bruyne, do segundo problema dos ligamentos do joelho, em quatro meses. Guardiola está fazendo rodízio dos jogadores porque o City vem de desgaste de cinco jogos nas duas últimas semanas.

O GOLEIRO EDERSON, paulista de 30 anos, comprado do Benfica por 40 milhões de euros, em junho de 2017, diz que “a final será um jogo de paciência”, e revela que o meia Fernandinho, ex-companheiro no City, passou todas as informações sobre o Fluminense, o técnico Guardiola despista: “Nosso plano é descansar, descansar e recuperar energias. O adversário teve a vantagem de jogar um dia antes. Nunca ouvi falar de jogo fácil, todos são sempre muito difíceis”.

Foto: Lance!