Na estreia do técnico Roger Machado, de volta ao clube depois de catorze anos, o Fluminense venceu o Flamengo por 1 x 0, com o primeiro gol do lateral Igor Julião, em 54 jogos, na noite de ontem (14), no Maracanã, pela terceira rodada da Taça Guanabara. O Fluminense vinha de derrotas – 2 x 1 para o Resende e 3 x 0 para a Portuguesa – e o Flamengo de vitórias – 1 x 0 no Nova Iguaçu e 2 x 0 no Macaé -, mas perdeu a liderança para o Volta Redonda e a vice-liderança para a Portuguesa pelo saldo de gols.

ELOGIO E CRÍTICA – Com as equipes desfiguradas, o jogo foi de baixo nível técnico. Superior no primeiro tempo, o Flamengo não teve competência para fazer gol. Um pouco melhor na volta do intervalo, o Fluminense venceu com o gol do lateral Igor Julião, aos 37 minutos, acertando chute de longa distância no ângulo. Ele comemorou com o punho direito cerrado, exaltando a postura do clube no combate ao coronavírus e criticando a CBF pelo tratamento que dispensa aos jogadores.

ESCLARECIDO – Carioca de 26 anos, criado no bairro de Bento Ribeiro, Igor Julião é esclarecido e de nível cultural acima da média do padrão dos jogadores de futebol, grato às lições do pai, militar que serviu na África, e do tio, professor de Ciências Sociais. Igor Julião lê as obras literárias do poeta e filósofo alemão Friedrich Nietzsche – 1844 – 1900 – e aprecia os trabalhos da pintora mexicana Frida Kahlo – 1907 – 1954 -, que fez obras inspiradas na natureza e nos artefatos do México. 

ROGER MACHADO, de 45 anos, foi lateral de três camisas, de 94 a 2008: Grêmio, quatro vezes campeão gaúcho; três Copas do Brasil, Libertadores e Brasileiro; Víssel Kobe, do Japão, e Fluminense, autor do gol da vitória – 1 x 0 no Figueirense -, na noite de 6 de junho de 2007, campeão da Copa do Brasil. Com o gol de Igor Julião no Fla-Flu, Roger Machado completou sua sétima estreia como técnico sem perder, com a quinta vitória e dois empates, desde o Juventude, de Caxias do Sul, em 2014.

MARCOS FELIPE, Igor Julião, Mateus Ferraz, Frazan e Danilo Barcelos; Yuri Lima, André (Wellington), Michel Araújo (Daniel) e Caio Paulista (Kaiky); Pacheco (Gabriel) e Ganso (John Kennedy) – o time da estreia de Roger Machado no Fluminense, oitavo com 3 pontos. O líder da Taça Guanabara é o Volta Redonda, com 7 pontos. A Portuguesa, igual em pontos ao Flamengo, com 6, é vice-líder pelo saldo de gols (3 a 2). O Botafogo é quarto colocado com 5 pontos.

GABRIEL BATISTA, Mateuzinho, Noga, Natan e Ramon; João Gomes, Hugo Moura (Barros) e Pepê (Max); Michael, Muniz e Tiaguinho (Lázaro) – o Flamengo do técnico Maurício de Souza, que volta ao sub-23, com o retorno de Rogerio Ceni na próxima rodada, com o retorno da maioria dos titulares. O técnico vai utilizar o campeonato para ajustar a equipe para as duas competições mais importantes: a Libertadores e o Brasileiro, em que tentará o inédito terceiro título consecutivo.

UM CARTÃO – Uma semana depois de apitar a final da Copa do Brasil – Palmeiras 2 x 0 Grêmio -, merecendo elogios do presidente da CBF, ao receber a medalha, o árbitro carioca Bruno Arleu Araújo, de 38 anos, teve outra atuação segura no Fla-Flu da noite de ontem (14), no Maracanã. O único cartão amarelo que aplicou foi aos sete minutos do segundo tempo, pela falta dura do volante Wellington, estreante no Fluminense, no meia João Gomes.