Depois dos 0 x 0 de Macaé x Flamengo e Vasco x Bangu, e de Volta Redonda 1 x 0 Botafogo, o Fluminense foi o único dos quatro grandes a fazer gol na abertura do Campeonato Carioca de 2020, o que lhe valeu a vitória (1 x 0) sobre a Cabofriense, na noite deste domingo (19), no estádio Elcyr Resende, em Bacaxá, distrito de Saquarema. O gol foi do meia Nenê, aos 40 minutos do segundo tempo.

NOVIDADE – Ainda sem a maioria dos titulares, o Fluminense apresentou como novidade o apoiador Hudson, de 31 anos, 1,79m, destro, emprestado até dezembro pelo São Paulo, que defendeu em 198 jogos e fez seis gols, desde 2014. Foi dele a assistência para o meia Nenê marcar o gol do jogo na saída do goleiro George, da Cabofriense.

ESTREIA – Além de Hudson, a outra estreia foi a do técnico Odair Hellmann, meia do Fluminense em 1999, que dirigiu o Internacional em 116 jogos, de 2017 a 2019. Na próxima quarta, ele vai comemorar 43 anos, nascido no município catarinense de Salete em 22/1/1977. Os jogadores elogiam seus métodos de trabalhar pela simplicidade.

MARCOS FELIPE, Gilberto, Mateus Ferraz, Lucas Claro e Orinho; Hudson, Yuri (Pablo Diego), Dodi e Nenê; Felipe Cardoso (Miguel) e Lucas Barcelos (Mateus Alessandro), o time da estreia com vitória (1 x 0) do Fluminense sobre a Cabofriense, que continuará usando o estádio do Boavista, devido às obras no Correião, em Cabo Frio.

SETE CARTÕES – Foi o jogo da abertura do Campeonato Carioca 2020 com mais cartões amarelos, todos bem aplicados pelo árbitro Alexandre Vargas de Jesus. Os três da Cabofriense: Igor, Abner e Magno. Os cinco do Fluminense: Gilberto, Pablo Diego, Yuri, Nenê e Hudson. R$99.000,00. 3.650 pagantes, bem de acordo com a importância do jogo.

O FLUMINENSE jogará na segunda rodada, quinta (23), às 20 horas, com a Portuguesa, que estreou perdendo (1 x 0, gol de Igor Catatau) para o Madureira, do técnico Toninho AndradeA CABOFRIENSE, do técnico Alfredo Sampaio, jogará com o Volta Redonda, que estreou ganhando (1 x 0) do Botafogo. 

Foto: Superesportes